Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Competições seniores e juniores A da FPF com policiamento até final da época

Logótipo de LusaLusa 04/04/2017 Luís Garoupa
PAULO NOVAIS/LUSA © LUSA / PAULO NOVAIS PAULO NOVAIS/LUSA

Redação, 04 abr (Lusa) – Os jogos das competições seniores e juniores A organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) vão ter policiamento até final da atual temporada, anunciou hoje o organismo em comunicado publicado no seu site oficial.

“Com esta ação, a FPF acrescenta uma medida adicional de segurança para árbitros e demais agentes desportivos, permitindo assim a criação de um clima que permita a reflexão – sem alarme, sem populismo e sobretudo sem instrumentalização – de um tema que é bem mais complexo e abrangente e de que ninguém se deve isentar de responsabilidades”, lê-se no site do organismo.

No mesmo documento, a federação defendeu que a atual legislação, em que os jogos definidos como de risco relevante são objeto de policiamento, enquadra corretamente as questões de segurança, e recordou que o “valor que os clubes em Portugal estão a pagar pelo mau comportamento dos seus adeptos é o mais alto de sempre”.

“Isso não pode nem deve eximir os mais relevantes atores sociais do fenómeno do futebol de utilizarem todos os canais à sua disposição, para a promoção de um ambiente social saudável, sem que isso signifique a privação da crítica a que todos estamos sujeitos”, considerou a FPF.

O organismo assumiu que existe “uma generalizada violência verbal que se agudiza desde o final do ano passado” e que não está a ignorar os mais recentes acontecimentos dentro e fora do campo.

“O presidente do Conselho de Arbitragem chamou à atenção em artigo publicado na imprensa nacional nessa altura, além do alarme social causado pelos mais recentes casos de inconcebível e inaceitável violência, nomeadamente os que envolveram árbitros de futebol”, conclui o comunicado.

LG // VR

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon