Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Concurso para reabilitar Matadouro do Porto, em Campanhã, com quatro candidaturas

Logótipo de O Jogo O Jogo 03/10/2017 Administrator

A Câmara do Porto recebeu quatro candidaturas para recuperar e explorar o antigo matadouro industrial de Campanhã, dando-lhe valências que vão da tecnologia à cultura e transformando o equipamento numa âncora do desenvolvimento daquela freguesia, foi hoje divulgado.

A informação foi adiantada pelo gabinete de imprensa da autarquia, em resposta a questões da agência Lusa a propósito do fim do prazo para a apresentação de candidaturas para reabilitar o edifício desativado há cerca de 20 anos, numa empreitada que, quando lançada em Diário da República, apontava para dois anos de obra e custos de 15 milhões de euros.

O gabinete de imprensa acrescenta que, apresentadas agora as quatro candidaturas, seguir-se-á uma fase de "qualificação prévia dos candidatos", com o objetivo de selecionar "os candidatos que cumprem os requisitos técnicos e financeiros mínimos estabelecidos no concurso".

O concurso público internacional para a reconversão e exploração do Antigo Matadouro Industrial do Porto foi lançado a 02 de agosto com a publicação do anúncio no Diário da República (DR), anunciou a Câmara do Porto naquele dia.

No DR, indicava-se que a fase de projeto terá uma duração de sete meses, seguindo-se a fase de obra que se prolongará por dois anos e uma estimativa preliminar de custos de 15 milhões de euros, enquanto a de exploração terá uma extensão de trinta anos, informou ainda em comunicado a autarquia.

Segundo a câmara, o concurso visa transformar aquele edifício, desativado há cerca de 20 anos e cuja construção se iniciou em 1910, "num equipamento âncora na reabilitação da zona oriental da cidade, baseado nos eixos da coesão social, economia e cultura".

No comunicado divulgado em agosto, a Câmara descrevia que a intervenção prevê a reconversão integral do complexo, mantendo a sua memória histórica e natureza arquitetónica, em espaços empresariais diversificados e polivalentes, espaços comerciais e de lazer de apoio local, destinados à ação social e à ligação com a comunidade local e de cariz cultural e artístico, destinados à exposição, à produção e ao depósito.

Está prevista a existência de um percurso interno público de circulação para peões e bicicletas "entre o acesso existente na Rua de São Roque da Lameira e a estação de Metro do Dragão e respetivo parque de estacionamento, atravessando o interior do edifício principal, subindo por um edifício novo a construir em altura no topo norte do complexo, e atravessando a VCI por intermédio de uma nova passagem superior", acrescentava-se no DR.

O projeto prevê ainda que "dos mais de 20 mil metros quadrados disponíveis para construção, 7.885 metros quadrados ficarão sob gestão municipal, sendo o restante explorado pela entidade vencedora do concurso".

Na avaliação das propostas, "o fator preço apenas contará 25%, sendo que os restantes 75% incidem sobre a qualidade técnica da proposta", revela a câmara, devendo as candidaturas ser entregues até 01 de outubro.

O projeto preliminar para a reabilitação do antigo matadouro foi apresentado na 21.ª Trienal de Artes, Design e Arquitetura de Milão, em abril de 2016 tendo sido anunciados em 27 de junho, em reunião pública do executivo, os termos do concurso público que hoje foi lançado.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon