Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Consolidação e transparência nas contas de Moçambique prioridades para o FMI - Consultora

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/07/2017 Administrator

O economista-chefe da consultora Eaglestone considerou hoje, em declarações à Lusa, que uma melhoria na consolidação orçamental e mais informação sobre os empréstimos escondidos são os dois aspetos mais importantes que resultam da visita do FMI a Moçambique.

"Primeiro, o Fundo Monetário Internacional (FMI) alerta mais uma vez para a necessidade de haver consolidação orçamental para que isso possa levar a uma redução gradual da dívida pública e, segundo, voltou a chamar a atenção para a necessidade de ser divulgada mais informação sobre a utilização dos fundos provenientes dos empréstimos contraídos pela Ematum, Proindicus, e Mozambique Asset Management", disse Tiago Dionísio à Lusa.

Questionado sobre os principais aspetos do comunicado do FMI, divulgado no final da visita a Moçambique, na semana passada, o economista salientou que "estes pontos são fundamentais" e devem ser encarados como "um aviso para que o Orçamento do Estado para o próximo ano, atualmente em preparação, tenha estas questões em conta".

No comunicado, o Fundo alertou que Moçambique precisa urgentemente de consolidar as finanças públicas, assinalando que o país enfrenta perspetivas económicas difíceis, apesar da melhoria de alguns indicadores.

Apelou ainda ao Governo para tomar medidas para suprir "lacunas de informação essencial" em relação à forma como foi usado o dinheiro das dívidas ocultas.

Para Tiago Dionísio, a consolidação orçamental também servirá para "facilitar o processo de restruturação da dívida do país", defendido não só pelo FMI, mas também pelo Governo moçambicano, que garante querer pagar as dívidas aos credores comerciais e aos detentores de títulos de dívida pública.

Sobre a informação que falta conhecer relativamente às dívidas escondidas, Tiago Dionísio concluiu que é "crucial serem tomadas medidas neste sentido, que visem melhorar a transparência das contas públicas e o 'governance', não só para que se possa avançar com um eventual pacote de ajuda financeira com o Fundo mas também para melhorar a relação com outros credores internacionais".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon