Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cooperação financia em 39 ME obras de requalificação de estradas em São Tomé

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/09/2017 Administrator

São Tomé 17 set (Lusa) - O Banco Mundial (BM), Banco Europeu de Investimento (BEI) e a cooperação holandesa vão financiar obras de reabilitação de estradas em São Tomé e Príncipe avaliadas em 47 milhões de dólares (39 milhões de euros), indica o governo.

"Nós temos 25 milhões que virão do Banco Mundial, já está em negociações e será realidade em breve que o BEI também entrará nesse setor de infraestrutura para a reabilitação da Estrada Nacional n.º 1 e requalificação da marginal do aeroporto até a vila de Pantufo, onde também entrará a cooperação holandesa, cujo envelope é de 47 milhões de dólares", disse o ministro das finanças, comércio e economia azulo, Américo Ramos.

A Estrada Nacional n.º 1 é um troço de 27 quilómetros que liga capital e a cidade de Neves, no Distrito de Lembá, no norte da ilha de São Tomé, enquanto a marginal do aeroporto a vila de Praia Melão tem cerca de 10 quilómetros.

Estas obras serão financiadas no âmbito do projeto de apoio ao setor dos transportes em que os 25 milhões de dólares garantidos pelo Banco Mundial sairão dos 75 milhões anunciados pelo BM no início desta semana, para serem desbloqueados nos próximos três anos.

Américo Ramos falava hoje a jornalistas no final da visita de uma semana a capital são-tomense de uma missão do Banco Mundial.

Na próxima terça-feira, irá deslocar-se ao país uma delegação da China Popular chefiada pelo vice-ministro chinês do comércio para uma primeira reunião da comissão de cooperação mista entre os dois países.

A construção do porto de águas profundas e reabilitação e alargamento do aeroporto internacional do arquipélago entram nestas negociações como prioridades do governo nesta primeira reunião da comissão mista com Pequim.

O ministro das Finanças, Comércio e Economia Azul anunciou também "para breve" o início das obras de requalificação do hospital Ayres de Menezes, financiadas pelo fundo do koweitiano, no valor de 17 milhões de dólares (14 milhões de euros).

"Já é um assunto quase fechado (negociações para libertação do financiamento), faltam pequenos detalhes, este momento está em curso ações para terminar os estudos para de seguida arrancar com a intervenção", disse Américo Ramos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon