Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Coreia do Norte condena à morte quatro jornalistas sul-coreanos

Logótipo de O Jogo O Jogo 31/08/2017 Administrator

A Coreia do Norte condenou à morte quatro jornalistas sul-coreanos que publicaram uma crítica a um livro tido como insultuoso, segundo a imprensa oficial do país.

O Chosun Ilbo e o Dong-A Ilbo, dois jornais conservadores, divulgaram uma crítica sobre a edição coreana do livro 'Coreia do Norte Confidencial', da autoria de dois jornalistas britânicos estabelecidos em Seul, e publicado pela primeira vez em 2015.

A publicação aborda o papel crescente da economia de mercado no dia a dia dos norte-coreanos e as séries televisivas da Coreia do Sul que circulam ilegalmente, bem como as roupas e penteados do Sul copiados pela população.

A versão coreana da obra foi rebatizada como a República capitalista da Coreia (RPDC), num jogo de palavras que remete para o nome oficial do país: República popular democrática da Coreia.

Ao publicar as críticas, os jornais "cometeram o horrível crime de ter insultado a dignidade da RPDC, no âmbito de uma "campanha sórdida de difamação", segundo a agência oficial do país, a Cour.

A agência acrescentou que foi feito um atentado ao Estado e insultado o nome "inviolável do país e emblema nacional".

Assim, um jornalista de cada publicação e os diretores são condenados à pena capital e "os criminosos não têm direito em recorrer da sentença e a execução será realizada não importa onde, a que momento, sem julgamento adicional".

Não é mencionada qualquer sentença contra os autores, Daniel Tudor e James Pearson.

Pyongyang tinha já condenado em junho à morte o antigo presdidente sul-coreano Park Geun-Hye e o antigo líder dos serviço secretos Lee Byung-Ho por alegada colaboração com as autoridades norte-americanas para assassinarem o dirigente da Coreia do Norte, Kim Jong-Un.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon