Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Coreia do Norte: EUA pedem "novas medidas" a todos os países, sobretudo à China e Rússia

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/09/2017 Administrator

O secretário de Estado norte-americano condenou hoje "o provocador" lançamento de um míssil efetuado pela Coreia do Norte que sobrevoou o Japão, instando "todas as nações", sobretudo a China e a Rússia, a aplicar "novas medidas".

"Pedimos a todas as nações que adotem novas medidas contra o regime de Kim [Jong-un]", afirmou Rex Tillerson, num comunicado emitido pelo Departamento de Estado.

o chefe da diplomacia norte-americana dirigiu o apelo particularmente à China e à Rússia, que têm estreitos laços com a Coreia do Norte, e exortou Pequim e Moscovo a mostrar a sua "intolerância face a estes imprudentes lançamentos de mísseis e a empreender as suas próprias ações diretas" contra Pyongyang.

"A China fornece à Coreia do Norte quase todo o seu petróleo. A Rússia é o maior empregador de força laboral norte-coreana", exemplificou o secretário de Estado norte-americano.

Esta foi a "segunda vez que o povo do Japão, um aliado dos Estados Unidos, foi diretamente ameaçado nas últimas semanas", sublinhou Rex Tillerson, apontando que "estas contínuas provocações apenas aprofundam o isolamento diplomático e económico da Coreia do Norte".

Antes, o Comando do Pacífico (PACOM, na sigla em inglês) dos Estados Unidos tinha confirmado que a Coreia do Norte lançou hoje (às 23:00 de quinta-feira em Lisboa) um míssil balístico de alcance médio que sobrevoou o norte do Japão.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi já informado pelo chefe de gabinete, John Kelly, do lançamento do míssil por parte da Coreia do Norte, indicou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

Pouco antes do lançamento, Trump confirmou que no próximo mês vai realizar uma viagem à Ásia, a qual inclui paragens na China, Coreia do Sul e Japão.

Questionado pelos jornalistas que o acompanharam no Air Force One na visita à Flórida, após a passagem do furacão Irma, o Presidente norte-americano falou da viagem asiática, mas não quis abordar a estratégia relativamente à Coreia do Norte, afirmando apenas que "o povo deste país estará seguro, muito seguro", numa referência aos Estados Unidos.

A Coreia do Norte lançou um novo míssil ao início da manhã de hoje (23:00 de quinta-feira em Lisboa), a partir dos subúrbios da capital, Pyongyang, que sobrevoou a ilha de Hokkaido, no norte do Japão, antes de cair a aproximadamente 2.000 quilómetros do cabo de Erimo, em águas do oceano Pacífico.

Trata-se do primeiro lançamento de um míssil por parte da Coreia do Norte desde finais de agosto, altura em que um outro projétil também sobrevoou o norte do Japão -- o que sucedeu pela primeira vez desde 2009.

Foi também o primeiro ensaio do regime de Pyongyang desde que o Conselho de Segurança da ONU aprovou na segunda-feira, por unanimidade, o oitavo pacote de sanções contra a Coreia do Norte, em resposta ao sexto e até à data mais potente ensaio nuclear efetuado a 03 de setembro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon