Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

CORREÇÂO: Saeta adquire ativos eólicos da ACS em Portugal por 104 ME

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/08/2017 Administrator

(Corrige no primeiro parágrafo o valor da potência energética produzida em Portugal e no terceiro parágrafo o valor dos lucros da venda)

VERSÃO INTEGRAL CORRIGIDA:

A companhia Saeta Yield fez um acordo com a ProCME, filial portuguesa do Grupo ACS, para comprar a Lestenergia Exploração de Parques Eólicos, dona de nove parques e que representam 144 megawatts, em Portugal.

A operação prevê o pagamento de 104 milhões de euros dos fundos próprios da Lestenergia, o que, segundo a Saeta, representa um valor empresarial total de 186 milhões de euros (incluindo dívida).

Por outro lado, a ACS comunicou que, depois do pagamento de impostos, a venda significa um lucro de "aproximadamente 12 milhões de euros".

Em comunicado citado pela agência EFE, a Saeta, sociedade de infraestruturas energéticas controlada pela ACS e o pelo fundo GIP, destaca que a carteira da Lestenergia tem um alto potencial e que vai atingir liquidez adicional a partir do primeiro ano.

A operação, que deve ficar concluída antes do fim do ano, vai ser financiada diretamente e também por fundos provenientes de uma linha de crédito autorizada pelo grupo.

Os parques eólicos da Lestenergia, situados nos municípios da Guarda e Castelo Branco, têm um período operacional de nove anos e estão equipados com geradores Gamesa, Vestas e Suzlon.

Ainda segundo o mesmo documento da Saeta, citado pela agência de notícias espanhola, na operação estão incluídos o sistema de regulação e o sistema tarifário portugueses considerados "fiáveis" e que garantem pagamentos em euros, ajustados à inflação e que são "previsíveis e estáveis" a longo prazo.

A Saeta refere também que pretende operar os parques durante um período superior a 12 anos acrescentando que esta compra faz parte da estratégia de crescimento internacional, "para reduzir a dependência dos investimentos" em Espanha.

Além desta compra, a segunda no estrangeiro depois da compra de parques eólicos no Uruguai, prevê a entrada da empresa em Portugal, constituindo "uma excelente plataforma" no país.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon