Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

CORREÇÃO: Mais de uma centena de moradores da Costa da Guia, Cascais, protestam contra construção

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/09/2017 Administrator

(Corrige, no décimo parágrafo, o nome do candidato do PAN, que é Francisco Guerreiro e não Francisco Serra).

VERSÃO INTEGRAL CORRIGIDA:

Mais de uma centena de moradores da Costa da Guia, em Cascais, protestaram hoje contra a construção de uma centro judaico num dos terrenos daquela zona que, defendem, deveria ser transformado num espaço verde público.

"O parque é de todos", "Mais construção aqui não!" e "Árvores sim, betão não" eram algumas das mensagens escritas nos cartazes envergados pelos moradores, muitos deles acompanhados dos seus animais.

"Queremos mostrar que este é um espaço de que deve ser aproveitado pelos moradores, para uso de todos. Queremos que seja um jardim e não para ter mais uma construção. Sabia que ia estar tanta gente, porque toda a gente se revê nesta contestação", afirmou à Lusa Pedro Jorão, porta-voz do grupo SOS Costa da Guia, promotor da iniciativa.

O terreno em causa tem 5.000 metros quadrados e, segundo o porta-voz, está avaliado em 2 milhões de euros.

"Apesar disso, a câmara cedeu o terreno por uma renda mensal de 744 euros, por 50 anos, valor que os moradores se dispuseram a pagar para ficar com o terreno, mas a câmara rejeitou essa proposta", contou.

O representante disse ainda já ter levado a contestação a tribunal, através de uma ação judicial que impeça a construção do centro judaico que está para ali prevista.

"Sabemos que a câmara já se opôs à nossa ação, agora temos de aguardar a decisão do tribunal, mas temos esperança que nos seja favorável", acrescentou.

Ao protesto juntaram-se também os partidos de oposição ao executivo PSD/CDS-PP que lidera a Câmara de Cascais.

Gabriela Canavilhas, candidata do PS, disse fazer questão de mostrar o seu apoio aos moradores e lembrou que "o espaço público é das pessoas e se as pessoas não querem ali construção, o seu pedido deve ser atendido".

Cecília Honório, candidata do Bloco de Esquerda, e Clemente Alves, da CDU, concordaram que o protesto é "justo" e que se deve acabar com a política de betão, posição semelhante à de Francisco Guerreiro, candidato do PAN, que sublinhou que "a ecologia deve ser defendida".

João Sande e Castro, do movimento "Também és Cascais", do qual o porta-voz dos moradores faz parte, referiu ainda que "a câmara deve saber decidir em favor das populações e não contra elas".

Confrontada com a manifestação, a Câmara de Cascais não quis fazer comentários.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon