Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Covilhã faz estágio na Serra da Estrela para o novo grupo se conhecer

Logótipo de O Jogo O Jogo 29/06/2017 Hugo M. Monteiro

Apenas sete jogadores da última temporada se mantêm no Covilhã, da II Liga, pelo que o grupo atribui valor acrescido ao estágio a decorrer nas Penhas da Saúde, para que todos possam conhecer-se melhor.

"Muita gente saiu, há muita gente que vai entrar. O estágio é bom para se conhecerem, para falarem, porque se estiverem mais tempo juntos isso vai proporcionar a interação. Uma coisa é acabarmos o treino e estarmos todos juntos, outra coisa é acabarmos o treino e cada um ir para casa", disse à Lusa Filipe Gouveia, o treinador, que está a trabalhar desde o início da semana.

A equipa está a fazer um estágio de duas semanas na Pousada da Juventude da Serra da Estrela e o técnico pretende aproveitar a zona envolvente para fazer algumas atividades "mais lúdicas", que incluem caminhadas e iniciativas nas lagoas da montanha. Mas isso só quando o grupo estiver completo.

Gilberto, o capitão, sublinha a importância de os jogadores poderem passar muito tempo juntos, à semelhança do que aconteceu no ano passado.

"É bom para termos um maior entrosamento também fora do campo. Ajuda a unir o grupo e acredito que vai dar frutos no futuro. Num clube com tantas mudanças, este tipo de estágio facilita as condições para nos conhecermos", considera o médio, a iniciar a sexta temporada de 'leão da serra' ao peito.

Joel, sub-capitão, entende ser responsabilidade dos mais antigos no clube incentivarem o convívio e darem a conhecer "o que é o Covilhã e como funciona".

"Tentamos puxar toda a gente para a sala comum, onde convivemos, para integrarmos os mais novos o mais rapidamente possível e também contamos umas histórias do clube", conta o defesa serrano.

Renato Reis (ex-Aves) é novo no grupo e não conhecia a maioria dos atuais colegas nem a região onde vai morar esta temporada.

© Fornecido por O jogo

"É uma mais-valia. Eu sou do Minho, sempre joguei por lá. É a primeira vez que venho cá. Isto é muito importante para nos conhecermos e para nos ambientarmos ao clube", sublinha.

Para o presidente, José Mendes, esta é também uma forma de facilitar a logística no início da temporada, num clube onde quase todos os jogadores são deslocados e têm de encontrar casa.

"Na programação do trabalho para esta época entendemos que, também devido à logística, fazer o estágio neste início de época era benéfico. Com o apoio do nosso vice-presidente e com o apoio da Câmara da Covilhã fizemos o estágio para unir o grupo, que é aquilo que nós pretendemos", realçou o dirigente serrano.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon