Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Craques do FC Porto chamados ao palco para melhorarem contas

Logótipo de O Jogo O Jogo 13/09/2017 Alcides Freire

Défice das duas últimas épocas muito associado a Ligas dos Campeões abaixo das expectativas. O início de 2017/18 entusiasma a SAD e promete melhores resultados. Há vários jogadores para a Europa ver.

André Silva marcou quatro golos e ofereceu mais dois na última edição da Liga dos Campeões e foi decisivo para o apuramento dos dragões para os oitavos de final com a mais baixa pontuação de sempre. A prova foi boa do ponto de vista financeiro, mas não exuberante ao nível das exibições. E no mercado houve reflexos diretos como, aliás, há dois anos, após eliminação ainda na fase de grupos. Vendas muito relevantes, só mesmo a de André...

Fazer uma excelente Liga dos Campeões é, portanto, fundamental para uma inflexão a esse nível. E o FC Porto tem vários craques na montra para potenciar e, no futuro, valerem mais do que aquilo que o mercado lhes tem dado. Seria possível ao Mónaco, por exemplo, vender Mendy, Bakayoko, Bernardo Silva e Mbappé acima de 50 milhões de euros se tivesse sido apenas campeão francês, sem as meias-finais da Champions a ajudar? "Esqueçam! Foi a Liga dos Campeões que mostrou ao mundo esses jogadores. O título francês ajuda, mas ninguém vende jogadores por mais de 50 milhões sem a ajuda de uma grande competição, como Champions, Liga Europa, Europeu ou Mundial", explica o empresário António Araújo. "E o Mónaco não chegou só às meias-finais. Eliminou o City e o Dortmund", completou.

© Fábio Poço/Global Imagens

Da Liga Europa chega-nos o exemplo de Davinson Sánchez, que o finalista Ajax transferiu para o Tottenham. Antes, porém, também passou pela Liga dos Campeões, prova que só Salah e Rudiger não jogaram em 2016/17, entre todos os jogadores transferidos de um país para o outro por valores acima de 30 milhões de euros.

Depois de André Silva, o FC Porto tem agora Danilo e Ricardo Pereira no topo da lista dos grandes europeus. "São os dois que o mercado mais quer. Danilo tem estado muito bem, mas ainda não fez uma Champions que impressione. Aqui em Portugal só os clássicos têm visibilidade. Ricardo deixou água na boca no Nice e todos estão atentos. É altura de confirmar", reforça Araújo. Jorge Pires, também empresário, aponta ainda a Alex Telles e Óliver. "Mas mais o Danilo e o Ricardo, até porque foram sinalizados há muito tempo. O Ricardo vai para uma época decisiva. Agora, todos o querem, mas uma má Liga dos Campeões deita tudo a perder, porque aparecerá outra novidade", justifica, ele que também olha para esta prova como fundamental para a valorização de ativos. "Digo que 95 por cento dos jogadores que valem muitos milhões destacam-se na Champions. Vale mais do que Europeus e Mundiais", assegura. António Teixeira coloca Alex Telles ao lado de Danilo e Ricardo entre os que mais têm a lucrar com uma grande Champions. "Num patamar seguinte vem Felipe e Soares. O mercado já os conhece", aponta o agente, embora com uma opinião um pouco diferente sobre o peso da Champions. "É o upgrade financeiro para uma grande transferência, mas isso não chega. É preciso ser regular no campeonato. A Champions aumenta o valor", frisa.

O FC Porto tem outros ativos para revelar. Soares vai para a primeira participação a tempo inteiro na prova, o FC Porto avaliou a sua compra em 7 milhões, pelo que os golos que pode marcar serão sinónimo de uma valorização tremenda, mais rentável do que as de Alex Telles (é defesa), Óliver (custou 20 milhões), Felipe (tem 28 anos) ou Brahimi (o FC Porto só tem 50 por cento do passe), por exemplo.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon