Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cristas e Costa trocam acusações sobre lei do arrendamento e Câmara de Lisboa

Logótipo de O Jogo O Jogo 04/10/2017 Administrator

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, e o primeiro-ministro, António Costa, trocaram hoje acusações sobre os méritos da lei do arrendamento do anterior Governo e a prestação do chefe do executivo enquanto presidente da Câmara de Lisboa.

Assunção Cristas saudou o tema das políticas de habitação que António Costa levou ao debate quinzenal no parlamento, até porque, disse, "nas suas funções anteriores, enquanto presidente da Câmara de Lisboa muito pouco fez nesta matéria".

O primeiro-ministro respondeu que a líder do CDS-PP terá agora a oportunidade de completar o seu trabalho no município da capital, já que foi eleita vereadora nas eleições autárquicas de domingo, e acusou-a de ser autora de uma lei de arrendamento que provocou perturbação às famílias e ao comércio.

Assunção Cristas manifestou-se orgulhosa dessa legislação: "Em matéria de reforma do arrendamento, eu orgulho-me de ver Lisboa com uma grande reabilitação urbana, que teve a ver com essa reforma, certamente, Lisboa e Porto, que eram os afetados com o congelamento das rendas".

"Orgulho-me também de saber que a disponibilidade de casas para arrendamento em Lisboa cresceu 60% em cinco anos. Foi uma reforma que, certamente não terá sido perfeita, mas que protegeu as situações dos mais idosos, da carência económica, e contribuiu para um forte investimento na capital", declarou.

"Se alguém fez alguma coisa fui eu, senhor primeiro-ministro", vincou, reiterando uma argumentação sobre a lei do arrendamento que já tinha dirimido no parlamento e em declarações aos jornalistas.

O despique entre Assunção Cristas e António Costa ainda deu origem a um pedido de defesa da honra da bancada do CDS-PP, com a líder do partido a defender-se da acusação do primeiro-ministro de que teria apoiado um agravamento do IRS, na terça-feira à saída de uma audiência com o Presidente da República.

Assunção Cristas questionou António Costa se vai fazer manter o IRC ou "vai fazer a satisfação ao PCP que anda muito desconsolado", numa referência aos resultados das eleições autárquicas, mas o primeiro-ministro respondeu que na próxima semana a líder do CDS conhecerá a proposta do Orçamento, "da qual, seguramente dirá mal".

A presidente do CDS-PP abriu as questões ao primeiro-ministro com um desafio à aprovação das propostas sobre incentivos fiscais ao arrendamento de longa duração que o CDS-PP tem feito, em sede de orçamento, e que voltará a fazer.

Lusa / Fim

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon