Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Cruz Vermelha estima que haja ainda 600 desaparecidos na Serra Leoa

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/08/2017 Administrator

A Cruz Vermelha estima que cerca de 600 pessoas estejam ainda desaparecidas na Serra Leoa devido às inundações e deslizamentos de terra que já provocaram mais de 300 mortos na capital Freetown e arredores, adiantou a AP.

"Nunca vi nada como isto", disse à AP Abdul Nasir, coordenador da Cruz Vermelha Internacional.

"Um rio de lama surgiu vindo do nada e engoliu comunidades inteiras, simplesmente varreu-as. Estamos numa corrida contra o tempo, contra mais inundações e contra o risco de doenças, para tentar ajudar as comunidades afetadas a sobreviver e a lidar com a sua perda", disse o responsável.

Segundo as estimativas da Cruz Vermelha, cerca de nove mil pessoas terão sido afetadas pelos deslizamentos de terra e inundações.

O Presidente da Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, afirmou hoje que o país precisa de ajuda urgente, após os deslizamentos de terra e inundações que provocaram mais de 300 mortos em Freetown.

"Estamos devastados" pelo desastre, afirmou emocionado o chefe de Estado quando falava aos jornalistas na capital da Serra Leoa, mais afetada pela catástrofe.

Entretanto, a Organização Internacional para as Migrações (OIM) libertou 150 mil dólares (127 mil euros) de ajuda.

O diretor geral da OIM, William Lacy Swing, assinalou em comunicado que se trata de uma contribuição inicial para apoiar o Governo de Serra Leoa a fazer frente a "este terrível acontecimento".

O diretor regional para a África ocidental, Richard Danziger, assinalou que a OIM se apresentou às autoridades da Serra Leoa e à equipa da ONU para avaliar os danos na região afetada.

Os aluimentos de terra ocorreram após três dias de chuvas torrenciais.

As linhas de comunicação e a eletricidade foram interrompidas, estando por apurar a extensão total dos prejuízos.

A OIM assinalou que o acesso a água potável e o elevado número de pessoas que ficaram sem casa são a preocupação imediata para milhares de cidadãos na capital, cuja população supera o milhão de habitantes.

Na Serra Leoa, com mais de sete milhões de habitantes, são frequentes nesta época do ano as fortes chuvas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon