Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Daniel Ramos: "Sabíamos que iríamos perder um dia"

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/03/2017 Hugo M. Monteiro

Técnico do Marítimo recordou o desaire da semana passada no Estádio do Bessa, mas reforçou a vontade de regressar aos triunfos já no domingo.

© Pedro Trindade/LUSA

O treinador do Marítimo, Daniel Ramos, disse este sábado que a equipa está motivada, após a derrota no Bessa, para receber um Arouca "ferido" no jogo de domingo, da 26ª jornada da I Liga.

"Estamos motivados, queremos regressar às vitórias, perante a nossa massa associativa, que nos tem apoiado e que vai continuar a fazê-lo. Mesmo com algumas limitações, é uma equipa que tem dado alegrias e que tem trabalhado bastante, honra a camisola que veste, que tem ultrapassado metas importantes e que vai lutar pela melhor classificação até ao final do campeonato", afirmou na conferência de imprensa de antevisão do jogo nos Barreiros.

A formação madeirense viveu a melhor série imbatível de sempre na I Liga, com dez jogos seguidos a pontuar, que chegou ao fim com uma derrota de 3-0 na casa do Boavista.

"Sabíamos que iríamos perder um dia. Desejamos é que não aconteça muitas vezes. É natural que as derrotas apareçam, porque o equilíbrio é uma constante à medida que nos aproximamos do fim do campeonato", comentou o técnico 'verde rubro', que acredita em surpresas nas jornadas que faltam devido à necessidade das equipas em conquistar pontos para alcançar os objetivos.

O próximo adversário, o Arouca, é uma dos nomes em questão, procurando garantir a manutenção, embora esteja numa fase menos boa, com várias derrotas consecutivas, o que traz vantagens e desvantagens para o Marítimo.

"Parece-me um Arouca ferido. Na teoria, é bom porque as derrotas trazem desconfiança, desacreditam a equipa, trazem intranquilidade, mas, por vezes, torna-se difícil, porque há um grito de revolta, que faz com que a equipa consiga reverter o ciclo", referiu.

À procura de chegar aos 40 pontos nesta jornada, o Marítimo encontra-se no sexto lugar, o que torna possível sonhar pelas competições europeias, mas existem vários concorrentes, o que levou Daniel Ramos a considerar a posição dos insulares como "ingrata" e explicou porquê.

"Temos, pelo menos, quatro equipas que ambicionam roubar-nos o lugar e temos duas acima de nós, duas potências nacionais, o Braga e o Guimarães, que desejam que não nos aproximemos. Há muita gente a querer mal ao Marítimo neste momento", justificou, deixando a garantia de que o grupo vai dar o "máximo" para conseguir o melhor possível, sabendo das dificuldades para manter o lugar.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon