Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Daniel Ramos salienta "fator casa" para receção ao Chaves

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/04/2017 Ana Proença

O treinador do Marítimo, Daniel Ramos, considerou este sábado o "fator casa" fulcral para a receção de segunda-feira ao Chaves, na partida que encerra a 28.ª jornada da I Liga.

"O fator casa tem sido extremamente importante para nós, pela quantidade de pontos que já fizemos, e pensamos continuar a fazer do nosso 'Caldeirão' um fator decisivo em alguns momentos em alguns jogos para que possamos continuar a somar", salientou na conferência de imprensa de antevisão do encontro no Funchal.

Desde a chegada ao comando técnico dos madeirenses, em setembro de 2016, Daniel Ramos ainda não perdeu um jogo para o campeonato nos Barreiros e juntou o apoio da massa associativa à determinação dos jogadores como ingredientes para conseguir os três pontos.

O Chaves viveu uma semana emotiva, após ter sido eliminado nas meias-finais da Taça de Portugal pelo Vitória de Guimarães, apesar de ter vencido a segunda mão por 3-1.

O estado emocional dos transmontanos é uma dúvida para o técnico verde-rubro, mas não uma preocupação.

© Gonçalo Delgado/Global Imagens

"De certeza que é um momento difícil para eles. Não é um problema meu, mas acredito que possa ter algum peso em alguns momentos do jogo. A forma como o Chaves se irá apresentar não é de capital importância, é sim importante apresentarmo-nos num nível elevado e, mesmo contra um Chaves de grande qualidade, como tem demonstrado, acreditamos que podemos vencer", respondeu.

Daniel Ramos comentou também as declarações do presidente Carlos Pereira, que admitiu ter havido sondagens pelo treinador, respondendo que o dirigente "sabe mais" do que ele.

O técnico garante estar "sereno e focado" no que resta do campeonato e, apesar de referir que tem contrato e que pretende continuar, não ofusca a sua ambição.

"Sair para melhor queremos todos, e eu não nego. Também quero mais, tenho condições para isso e desejo que isso aconteça. Se vai ser breve? Não sei responder. Estou a trabalhar com grande determinação e alegria pelo que tem acontecido. O reconhecimento tem estado presente e a minha valorização tem sido boa", admitiu.

O Marítimo, sexto classificado, com 41 pontos, recebe o Desportivo de Chaves, oitavo, com 36, na segunda-feira, pelas 20:00, com arbitragem de Rui Oliveira, da Associação de Futebol do Porto.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon