Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Danilo elogia neozelandeses, mas quer meias-finais da Taça das Confederações

Logótipo de LusaLusa 22/06/2017 Rita Moura
TIAGO PETINGA/LUSA © LUSA / TIAGO PETINGA TIAGO PETINGA/LUSA

Moscovo, 22 jun (Lusa) – O médio português Danilo Pereira considera que a Nova Zelândia, próximo adversário de Portugal na Taça das Confederações em futebol, é uma equipa com argumentos, mas que a seleção quer ser primeira e passar às meias-finais.

“O espírito é sempre o mesmo, de querer e muita vontade, para podermos ganhar este jogo [com Nova Zelândia] e estar mais perto daquilo que é o nosso objetivo, ficar em primeiro no nosso grupo e passar às meias-finais”, salientou o médio em declarações à assessoria da Federação Portuguesa de Futebol.

Portugal, campeão da Europa, e México, campeão da CONCACAF, lideram o Grupo A da Taça das Confederações, com quatro pontos, mais um do que a Rússia, enquanto a Nova Zelândia ainda não pontuou.

Depois do empate frente aos mexicanos (2-2) e a vitória diante dos russos (1-0), a ‘equipa das quinas’ defronta a Nova Zelândia, no sábado, às 18:00 (16:00), num jogo em que poderá confirmar a passagem às meias-finais da competição.

Danilo, que na quarta-feira entrou aos 82 minutos para o lugar de Adrien Silva, considera que a Nova Zelândia tem qualidade e mostrou isso no jogo com o México, no qual esteve a vencer (1-0) e acabou por perder (2-1).

“Tem os seus argumentos, vimos agora contra o México, que tem bons argumentos para defrontar qualquer equipa. Vamos com espírito de ganhar”, assegurou o jogador português.

Danilo entende que diante da anfitriã Rússia, Portugal entrou mais forte e focado do que em relação ao que tinha feito com o México – com mais posse de bola -, e que isso permitiu à equipa de Fernando Santos dominar o jogo.

“O foco é sempre o mesmo, é vencer qualquer jogo, e assim tentámos contra o México, mas infelizmente acabámos por empatar o jogo”, acrescentou o médio, que na Rússia ficou surpreendido com a boa organização.

RPM (JP/LG) // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon