Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Departamento de Economia catalão reabre após saída de todos os agentes da Guarda Civil

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/09/2017 Administrator

Os últimos agentes da Guarda Civil que estavam na sede do departamento de Economia em Barcelona abandonaram o edifício pelas 07:00 (08:00 em Lisboa) após quase 24 horas no local, que esta manhã retomava a atividade laboral.

Fonte do departamento disse à agência espanhola Efe que, depois da saída dos últimos agentes da Guarda Civil, o vice-presidente da Generalitat, o executivo catalão, Oriol Junqueras, e os restantes funcionários do Departamento estavam a voltar aos postos de trabalho com a "máxima normalidade possível", embora tenha ressalvado que têm "cinco companheiros detidos".

A Guarda Civil deteve na quarta-feira 12 pessoas, entre as quais altos cargos do governo autónomo da Catalunha, e está a proceder a buscas nos departamentos de Economia, Exterior, Trabalho e Governação no quadro das investigações sobre o referendo independentista.

As detenções e as nove operações de busca ordenadas pelo Tribunal de Instrução n.º 13 de Barcelona, no quadro das investigações sobre o eventual uso indevido de fundos públicos nos preparativos do referendo, suspenso por ordem do Tribunal Constitucional.

Fontes judiciais ligadas à investigação disseram à EFE que entre os detidos encontram-se o número dois da conselharia para a Economia, Josep Maria Jové, o secretário das Finanças, Josep Lluís Salvadó, Josué Sallent Rivas, responsável pelo Centro de Telecomunicações e Tecnologias de Informação (CCTI) e Xavir Puig Farré, do Gabinete dos Assuntos Sociais.

Uma comitiva judicial que incluía 25 agentes da Guardia Civil entrou por volta das 08:00 (07:00 em Lisboa) de quarta-feira no edifício para buscas relacionadas com os preparativos do referendo de 01 de outubro, convocado pelo Governo e suspenso pelo Tribunal Constitucional.

Os membros da comitiva judicial ficaram bloqueados no edifício durante horas depois de milhares de pessoas se terem concentrado em frente à sede em protesto pela operação levada a cabo pela Guarda Civil e ordenada pelo Tribunal de Instrução n.º 13 de Barcelona.

Durante a noite, os Mossos d'Esquadra carregaram contra vários manifestantes e criaram um cordão de segurança para permitir a saída de um primeiro grupo de elementos da Guarda Civil.

Já durante a madrugada, outro grupo de cinco agentes abandonou o edifício, os quais após percorrerem um pequeno trecho, entraram nos seus veículos sem identificação policial, tendo sido escoltados pelos Mossos d'Esquadra.

Os veículos e agentes dos Mossos que guardavam o exterior do edifício também saíram após a partida de todos os agentes da Guarda Civil e apenas uma carrinha e quatro agentes permaneciam nas proximidades do departamento.

Os serviços de limpeza da câmara municipal de Barcelona foram ativados a partir das sete da manhã (06:00 em Lisboa) e pouco depois foi reaberta ao trânsito aquela seção da Rambla da Catalunha, no centro da cidade de Barcelona.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon