Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Design do Brasil mostra-se em Lisboa em 50 projetos e uma livraria especializada

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/09/2017 Administrator

Uma exposição que pretende refletir sobre o design desenhado e produzido no Brasil, com uma centena de perspetivas, metade em projetos de design e as restantes numa livraria, será inaugurada na próxima semana, em Lisboa, foi hoje anunciado.

De acordo com o MUDE - Museu do Design e da Moda, esta exposição intitula-se "Como se Pronuncia Design em Português: Brasil Hoje" e é inaugurada a 23 de setembro, às 18:00, abrindo ao público no dia seguinte, no Palácio Calheta, Jardim Botânico Tropical, em Belém.

Trata-se da segunda exposição da programação desenhada pelo MUDE para a Lisboa - Capital Ibero-Americana da Cultura, realizada com a parceria da Universidade de Lisboa, enquadrada na temporada "fora de portas" do museu em renovação, na Baixa.

Nesta exposição, o foco será a realidade e a cultura material do Brasil contemporâneo, e a forma como produtos, serviços ou propostas falam da realidade política, económica e social do país.

Serão apresentadas 100 perspetivas de design enunciadas no Brasil do século XXI, metade delas através de 50 projetos que revelam como o design tem sido empregue naquele país para promover ideias de progresso, consumo, identidade, património e cidadania.

As outras perspetivas apresentadas são 50 livros sobre design e designers brasileiros, disponíveis para consulta e compra na primeira livraria em Portugal especializada em design do Brasil.

"Instalada no centro da exposição, esta livraria presta um serviço único e pioneiro aos profissionais, estudantes e interessados em design portugueses, tornando-se ainda num ponto de encontro privilegiado para quem estuda e pratica o design na nossa língua", sublinha o MUDE numa nota de imprensa.

Entre projetos e livros, a exposição "Brasil Hoje" conta com mais de 200 autores, estúdios e coletivos das mais diversas disciplinas e abordagens do design: da tipografia ao mobiliário, da moda à arquitetura, da publicação independente aos produtos de grande consumo.

Os clientes destes 'designers' incluem grupos de ativistas e iniciativas cidadãs, além de grandes empresas como a Embraer e marcas conhecidas de produtos e serviços como a Havaianas, a Natura, a Whirlpool Latin America ou Porto Seguro.

Na mesma nota do MUDE, o curador da exposição "Brasil Hoje", Frederico Duarte, sublinha que "Portugueses e brasileiros partilham a mesma língua e a mesma palavra estrangeira: design".

"O sotaque pode mudar mas esta palavra, pronunciada dos dois lados do Atlântico sem ser traduzida, tem hoje muitas declinações e múltiplas interpretações", refere.

Por ocasião da inauguração desta exposição serão afixados na fachada do edifício do MUDE na Rua Augusta - atualmente em obras de renovação - os cartazes da "Campanha Não Eleitoral", um projeto da revista Piseagrama implementado na cidade de Belo Horizonte durante as eleições autárquicas de 2012.

A programação e organização desta exposição é da Câmara Municipal de Lisboa em conjunto com o Museu do Design e da Moda - Coleção Francisco Capelo, em parceria com a Universidade de Lisboa, com coordenação geral de Bárbara Coutinho e curadoria de Frederico Duarte.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon