Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Dia de glória para a Bielorrússia na Volta a França do Futuro

Logótipo de O Jogo O Jogo 22/08/2017 Hugo Monteiro

Ciclista bielorrusso Vasili Strokau venceu a quinta etapa da Volta a França do Futuro, depois de fazer vingar uma fuga, com o português Francisco Campos no 12.º posto.

O ciclista bielorrusso Vasili Strokau venceu a quinta etapa da Volta a França do Futuro, depois de fazer vingar uma fuga, com o português Francisco Campos no 12.º posto. Ao cortar a meta ao fim de 03:50.50 horas, Strokau venceu a primeira etapa, à frente do colega de fuga austríaco Patrick Gamper, novo camisola amarela da prova, tendo chegado com o mesmo tempo, com o escudeiro do bielorrusso, o compatriota Ilya Volkau, a fechar o pódio a 12 segundos de distância. O vencedor da tirada conseguiu cortar a meta com 3.48 minutos de vantagem sobre o pelotão, no qual Francisco Campos foi o luso mais bem posicionado, no 12.º posto.

© Reprodução/Facebook

Durante a etapa, o pelotão deixou a fuga ganhar vantagem, que chegou a ser de mais de sete minutos, e falhou a perseguição, permitindo o aparecimento de várias outras tentativas de ataque, uma delas envolvendo o português José Neves, que se lançou a 40 quilómetros do final, mas sem sucesso.

Strokov venceu a tirada de 157,1 quilómetros, com Gamper, novo camisola amarela, a suceder ao dinamarquês Kasper Asgreen.

Depois de Campos, o melhor luso foi Tiago Antunes, 28.º, seguido de José Neves, 81.º, André Carvalho, 118.º, e Hugo Nunes, no 122.º posto, enquanto Rui Oliveira, que na segunda-feira foi quarto na etapa, caiu nos últimos 10 quilómetros e chegou atrasado, na 135.ª e antepenúltima posição, com uma perda de mais de 17 minutos.

Na classificação geral, Tiago Antunes é o melhor posicionado, na 26.ª posição a 3.49 minutos do camisola amarela, a mesma distância de Nunes (50.º) e Francisco Campos (82.º).

"Só temos a lamentar as quedas do Hugo Nunes e do Rui Oliveira, que terão de ser observados pelo médico para avaliar a extensão das lesões", explicou, citado em comunicado, o selecionador José Poeira, que considerou que a formação portuguesa teve a etapa "sempre controlada".

Na quarta-feira, a ligação entre Montrichard e St. Amand-Montrond, de 139,1 quilómetros, é a última que aponta aos velocistas do pelotão, ainda que uma subida colocada nos últimos quilómetros possa 'baralhar' as contas dos homens mais rápidos, antes do início das etapas de altitude.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon