Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Doze interessados em desenvolver linhas Rosa e Amarela da Metro do Porto

Logótipo de O Jogo O Jogo 17/10/2017 Administrator

Doze concorrentes apresentaram propostas para desenvolver os projetos das linhas Rosa e Amarela no âmbito da expansão da rede de metro do Porto, informou hoje a sociedade que gere aquele sistema de transporte.

Em causa a linha Rosa que compreende a ligação entre S. Bento, Cordoaria/Hospital de S. António, Galiza/Centro Materno-Infantil e Casa da Música/Rotunda da Boavista, no valor 2,6 milhões de euros, bem como o prolongamento da linha Amarela para ligar o Hospital S. João, no Porto, e Vila d'Este, em Vila nova de Gaia, no valor de 2,1 milhões de euros.

No total este concurso público que entra agora na sua segunda fase ascende a 4,7 milhões de euros.

Em comunicado, a Metro do Porto informa que, concluída a pré-qualificação, os concorrentes aprovados estarão habilitados a apresentar propostas para a elaboração dos projetos e que as propostas devem ser apresentadas no mês de novembro, enquanto a adjudicação dos trabalhos de projeto está estimada para dezembro.

Segundo a Metro do Porto, apresentaram propostas as empresas Fase/Ayesa, GEG, Tecnofisil, Edgar Cardoso, IDOM, LCW/Amberg/Grid, NRV, TPF/Planege/Cenor, Prospectiva, Proengel, COBA/Viaponte/Gibb e Sener.

"Os candidatos podem concorrer a uma das duas novas linhas previstas ou as ambas, uma vez que este concurso público contempla dois lotes distintos", refere a nota.

A linha Rosa será totalmente subterrânea e terá quatro novas estações enterradas que vão ser projetadas pelo arquiteto responsável pelo desenho da primeira fase do metro, Eduardo Souto Moura.

Trata-se de uma extensão de 2,5 quilómetros que compreende a elaboração de estudos prévios, avaliação de impacto ambiental, obtenção de declaração de impacto ambiental e projeto de execução.

O prazo total de execução na linha Rosa é 330 dias.

Quanto à linha Amarela, em causa estão em 3,2 quilómetros e a construção de três novas estações entre Santo Ovídio e Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia, o que implica o desenvolvimento dos mesmos trabalhos enumerados anteriormente, "mas há uma diferença: o projeto e declaração de impacto ambiental deste novo troço têm que ser apresentados 270 dias após a adjudicação", indica.

Desta forma, os procedimentos de avaliação ambiental deverão decorrer ao longo do próximo ano, pelo que o lançamento dos concursos para as empreitadas deverá ocorrer no final de 2018.

A Metro do Porto prevê que as obras arranquem nos primeiros meses de 2019 e venham a ficar concluídas em 2022.

A nota da sociedade que gere o metro aponta que, no seu conjunto, as novas linhas vão servir, diariamente, mais de 33.000 pessoas, cobrindo "importantes polos de procura".

"O investimento global nesta fase de expansão da rede do metro (projetos incluídos) é na ordem dos 290 milhões de euros", conclui a Metro do Porto.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon