Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Dragão lançou canas mas não fez a festa

Logótipo de O Jogo O Jogo 20/03/2017 Ana Proença

Movidos pela série de nove vitórias seguidas na I Liga, a que se juntou a hipótese de o FC Porto poder assumir a liderança do campeonato, os portistas encheram o Dragão, que, com 49 417 espectadores, somou este domingo a segunda melhor assistência da temporada (só o Benfica teve mais).

Convidados pelo "speaker" a participar no anúncio do onze, bem cedo entoaram um dos cânticos da moda (Eu quero o Porto campeão) na tentativa de empurrar a equipa para a vitória e ao longo do jogo não perdoaram cada perda de tempo dos sadinos.

© Ivan Del Val/Global Imagens

Bruno Varela foi o principal visado, mas os assobios deram lugar à euforia quando Corona adiantou os dragões. Soltaram-se "foguetes" pela subida momentânea da equipa ao topo da classificação, onde permaneceu durante 15 minutos, altura em que o benfiquista João Carvalho atirou com um balde de água fria para as bancadas.

Os adeptos ainda tentaram reanimar a equipa, empurrando-a para o assalto à baliza de Bruno Varela, mas de nada valeu. A crença na vitória esgotou-se ao fim de sete minutos de compensação e deixou Felipe estendido no relvado e Marcano de mãos na cabeça incrédulo. Dentro de duas semanas, há uma visita à Luz. E os azuis e brancos prometem marcar presença em peso.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon