Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Draghi garante que programa de estímulos não acaba "de repente"

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/10/2017 Administrator

O Banco Central Europeu (BCE) não tem intenção de acabar "de repente" com o programa de estímulos destinado a apoiar a economia na zona euro, afirmou hoje o seu presidente, Mario Draghi.

O programa, designado como "quantitative easing" (QE), "não vai acabar de repente", disse Draghi aos jornalistas após a instituição ter anunciado uma redução para metade nas compras mensais de dívida a partir de janeiro e até ao final de setembro de 2018, passando o volume de aquisições de 60 mil milhões de euros para 30 mil milhões de euros.

A instituição liderada por Mario Draghi disse também que as taxas de juro ficam nos níveis atuais, com a taxa de juro aplicável às principais operações de refinanciamento em 0%.

Draghi afirmou que as medidas adotadas têm como objetivo "manter condições de financiamento muito favoráveis" na zona euro.

O BCE vai manter "um grau elevado" de apoio à economia, disse Draghi na habitual conferência de imprensa realizada após as reuniões de política monetária.

"Continua a ser indispensável um grau elevado de estímulos monetários", declarou, salientando que a redução adotada reflete "a confiança crescente" da instituição nas perspetivas de crescimento e de inflação.

Draghi indicou que a inflação na zona euro ainda não está em conformidade com o objetivo do BCE (ligeiramente abaixo de 2%), justificando que a política monetária se mantenha flexível.

Na reunião anterior, em setembro, a instituição reviu em baixa as previsões de inflação para 1,2% em 2018 e 1,5% em 2019, depois de 1,5% em 2017.

A taxa de inflação na zona euro ficou em 1,5% em setembro e a inflação subjacente, que exclui os preços dos elementos mais voláteis, como energia e alimentos, está em 1,1%.

Apesar da diminuição do programa de compra de ativos, a instituição deixa em aberto a possibilidade de aumentar de novo o seu volume se for necessário.

"Se as perspetivas se tornarem menos favoráveis, (...) estamos preparados para aumentar o volume e/ou alongar a duração do nosso programa de compra de ativos", reafirmou Draghi.

O Conselho de Governadores do BCE decidiu também que a partir de agora vai dar mais informação sobre os vencimentos dos títulos adquiridos e dos reinvestimentos que faz.

O primeiro comunicado sobre este assunto será divulgado no próximo dia 06 de novembro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon