Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Dumoulin e a paragem para as necessidades: "Foi uma situação de m..."

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/05/2017 Hugo Monteiro

Ciclista holandês Tom Dumoulin (Sunweb), líder da 100.ª Volta a Itália, resumiu como "terrível" o episódio que quase lhe custou a camisola rosa.

O ciclista holandês Tom Dumoulin (Sunweb), líder da 100.ª Volta a Itália, resumiu como "terrível" o episódio que quase lhe custou a camisola rosa, assumindo que a única solução foi parar para satisfazer necessidades fisiológicas. "Perdi imenso tempo, é terrível. Tive de parar, não tenho outra explicação. Foi uma situação de merda", assumiu Dumoulin.

© ALESSANDRO DI MEO/EPA

A cerca de 33 quilómetros da meta da decisiva 16.ª etapa, que ligou Rovett e Bormio, na distância de 222 quilómetros, com passagens nos míticos Mortirolo e Stelvio, contagens de categoria especial, o 'maglia rosa' parou abruptamente, despindo-se diante das câmaras para 'solucionar' um problema intestinal.

"Quando regressei à bicicleta, decidi batalhar e ver qual era a consequência depois da meta. Segurei a camisola rosa, mas estou tremendamente dececionado, furioso. Não perdi tempo a pedalar. Sentia-me bem, perdi tempo devido a este problema", garantiu.

No entanto, Dumoulin, que perdeu 2.17 minutos para o vencedor da etapa, o italiano Vincenzo Nibali (Bahrein Merida), e tem agora o colombiano Nairo Quintana (Movistar) a 31 segundos do primeiro lugar, prometeu que a Volta a Itália ainda não acabou para si.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon