Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Ederson depois de Oblak: 60 milhões de euros em dois anos

Logótipo de O Jogo O Jogo 01/06/2017 Ana Proença

O Benfica fez questão de destacar o montante da transferência de Ederson para o Manchester City, reforçando a liderança do clube a nível internacional entre os que mais rentabilizam e valorizam os seus jogadores.

Poucas horas depois de ser oficializada a transferência de Ederson para o Manchester City, por 40 milhões de euros, o Benfica referiu no seu site o facto de Ederson se ter tornado "o guarda-redes mais caro da história do futebol português e também o segundo mais caro da história do futebol mundial".

"O valor investido pelo Manchester City na contratação de Ederson é superior aos valores das contratações de Neuer (30 milhões de euros), Toldo (26.5 milhões) e De Gea (25 milhões de euros)", escreve o Benfica, recordando, em seguida, a transferência de Oblak para o Atlético de Madrid

© Fábio Poço/Global Imagens

"De resto, Ederson tornou-se, ainda, o segundo jogador que o Benfica conseguiu colocar neste grupo restrito das maiores transferências de sempre de guarda-redes na história do futebol mundial, depois da transferência de Oblak, há dois anos, para o Atlético Madrid. Neste ranking, o internacional esloveno ocupa, agora, a nona posição."

"Duas transferências, em dois anos, que levam a um volume total a rondar os 60 milhões de euros e que confirmam o atual estatuto do Benfica, recentemente classificado como o Clube que lidera o ranking internacional de rentabilização e valorização dos seus jogadores", pode-se ler ainda.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon