Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Edição deste ano do Muraliza - Festival da Arte Mural em Cascais tem apenas visitas guiadas

Logótipo de O Jogo O Jogo 28/09/2017 Administrator

A edição deste ano do Muraliza - Festival da Arte Mural, em Cascais, chegou a ser anunciada para este mês, mas acabou por não acontecer, tomando a forma de visitas guiadas às obras realizadas nas edições anteriores.

Em janeiro deste ano, a Câmara de Cascais anunciou que a 4.ª edição do Muraliza aconteceria de 25 de setembro a 01 de outubro. A iniciativa, entretanto inserida na programação do Festival Internacional de Cultura (FIC), acabou por tomar a forma de visitas guiadas às intervenções realizadas nas primeiras três edições. As visitas foram marcadas para os dias 23 e 24 e de setembro e no próximo fim-de-semana (sábado e domingo).

De acordo com o diretor do Futuro (entidade que gere a rede dos museus de Cascais), Marco Espinheira, em declarações à agência Lusa, "não fazia sentido lançar em setembro o Muraliza e, na primavera, haver nova ação de arte urbana no concelho", referindo-se ao Museu de Arte Urbana e Contemporânea de Cascais (MARCC), que deverá abrir em abril ou maio do próximo ano.

Marco Espinheira garantiu que "haverá integração do Muraliza na estratégia do MARCC", tendo o orçamento previsto para o festival este ano sido transposto para 2018.

No âmbito do Muraliza, festival produzido por Lara Seixo Rodrigues (do Wool -- Festival de Arte Urbana da Covilhã e da associação Mistaker Maker) e que se realizou a primeira vez em 2014, as paredes de Cascais ganharam obras de artistas como o italiano Millo, o argentino Bosoletti e os portugueses Draw, Third, Samina, addfuel, Nomen, Mário Belém e Kruella D'Enfer.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon