Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Eficiência dos camiões europeus não evolui há 20 anos - estudo

Logótipo de O Jogo O Jogo 26/09/2017 Administrator

A eficiência dos veículos pesados que circulam na Europa é a mesma de há 20 anos, apesar de a evolução tecnológica permitir às transportadoras poupar 5.700 euros em gastos anuais com combustíveis, segundo um estudo divulgado hoje pela Quercus.

Os dados, divulgados hoje num relatório da Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E), da qual a Quercus é membro, representam um "caso clássico de falha de mercado", segundo a organização ambientalista.

Segundo o estudo, baseado em dados do International Council on Clean Transportation, a eficiência dos veículos pesados poderia ser aumentada em 18% se o setor acompanhasse a evolução tecnológica, que permitiria também reduzir os gastos com combustível.

Os camiões representam menos de 5% de todos os veículos que circulam na Europa mas são responsáveis por cerca de 25% das emissões de gases com efeito de estufa, e um veículo de 2015 consome, em combustível, aproximadamente o mesmo que um de 1995.

"Apesar do combustível representar uma despesa considerável para as empresas transportadoras (cerca de 32 mil euros por ano, em média, por camião), o setor tarda em implementar tecnologias", lê-se no comunicado enviado pela Quercus.

Os motores de turbina de compressão escalonada, por exemplo, disponíveis no mercado há 15 anos, permitiriam poupar 3% em combustível, mas estão instalados em apenas 0,24% dos camiões europeus.

Também os pneus de baixa resistência têm taxas de penetração no mercado "muito baixas" (1% de acordo com o relatório), apesar de reduzirem o consumo de combustível em 7%.

O problema, segundo a T&E, relaciona-se com o facto de os fabricantes venderem estas tecnologias como "extras opcionais dispendiosos", que as transportadoras não são capazes de pagar.

Por outro lado, "com a partilha de atrelados, o benefício destas inovações pode não ser aproveitado pelas transportadoras", lê-se no comunicado.

A Federação acredita que esta questão pode ser resolvida através da criação de normas para toda a União Europeia que regulem os combustíveis para veículos pesados, à semelhança daquelas que já existem na América do Norte, China e Japão.

De acordo com o comunicado da Quercus, a Comissão Europeia publicará, no início de 2018, a normativa proposta para a eficiência de combustível dos veículos pesados.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon