Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Embaixador russo nos EUA termina missão e regressa a Moscovo

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/07/2017 Administrator

O embaixador da Rússia em Washington, Serguei Kislyak, figura central na investigação sobre a ingerência russa nas eleições norte-americanas de 2016, regressou a Moscovo após quase uma década como representante diplomático, informou a embaixada.

Kislyak, que dirigia a embaixada de Washington desde 2008, "concluiu a sua missão" na capital dos Estados Unidos no sábado, disse a embaixada na sua conta oficial no Twitter.

"Até à chegada de um sucessor, o 'número dois' da embaixada, Denis V. Gonchar, será o encarregado de negócios interino", refere a mensagem.

A embaixada não avançou as razões da saída do polémico embaixador, mas nas últimas semanas já circulavam rumores sobre o seu regresso a Moscovo.

Os contactos de Kislyak, de 66 anos, com elementos da campanha e da equipa de transição de Donald Trump, atual Presidente dos Estados Unidos, estão a ser analisados pelo Congresso norte-americano e pelo procurador especial Robert Mueller, nomeado pelo Departamento de Justiça para liderar a investigação sobre a alegada ingerência russa nas eleições de novembro passado.

Kislyak teve reuniões discretas com o procurador-geral, Jeff Sessions, com o genro e assessor de Trump, Jared Kushner, com o ex-assessor de segurança nacional Michael Flynn e com um outro elemento da campanha, Carter Page.

As conversações com Kislyak aceleraram a saída de Flynn, que ocultou do vice-presidente, Mike Pence, ter abordado com o embaixador o levantamento de sanções à Rússia.

Segundo o canal NBC, Kislyak será substituído pelo vice-ministro da defesa russo, Anatoly Antonov, representante da linha mais dura do governo do presidente Vladimir Putin, sujeito a sanções na União Europeia pelo seu papel na crise da Ucrânia.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon