Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Empresa australiana avalia fábrica de produção de lítio em Montalegre

Logótipo de O Jogo O Jogo 14/09/2017 Administrator

A empresa australiana Novo Lítio divulgou hoje que vai recolher amostras de lítio em Sepeda, concelho Montalegre, visando ali criar uma fábrica destinada à produção deste mineral, usado nas baterias dos carros elétricos, em 2020.

Em comunicado, a empresa Novo Lítio explica que, dentro do seu programa de perfuração, "identificou os locais dentro da jazida Sepeda [distrito de Vila Real] para serem a fonte de material para criar uma amostra representativa [...] de mineração e produção de concentrado".

O objetivo é que, a partir de março de 2018, sejam recolhidas amostras e, posteriormente, enviadas para o centro da empresa tecnológica Outotec (parceria no projeto), em Espoo, na Finlândia, que atestará a qualidade do material dado ter "uma vasta gama de equipamentos que poderão ser utilizados no desenvolvimento e definição do processo produtivo mais eficiente".

Contudo, isso está dependente da resolução de questões judiciais.

No início de setembro, o Diário de Notícias noticiou que a Novo Lítio, que quer fazer a exploração, entrou em litígio com a portuguesa Luso Recursos, a quem foi atribuída a concessão neste território.

De acordo com a publicação, a Novo Lítio tem em curso um processo judicial contra a Luso Recursos com base no argumento de que, ao contrário do que estaria estipulado no acordo inicial, a empresa portuguesa não avançou com os pedidos oficiais junto do Governo para a concessão das licenças.

"Devido às frustrações na relação com a Lusorecursos, o programa de testes abrandou o seu ritmo", aponta a Novo Lítio.

A empresa espera, contudo, "um resultado favorável nos seus processos judiciais" já em novembro deste ano, razão pela qual estima para 2020 "o arranque do concentrado de Sepeda" para o desenvolvimento de uma fábrica química de lítio.

A Novo Lítio pretende tornar-se num fornecedor sustentável de concentrado de lítio para as indústrias de vidro e cerâmica e de produção de baterias, estando a desenvolver projetos em países europeus como Portugal e na Suécia.

Na quarta-feira, o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, anunciou que o Governo está a preparar um plano para a extração do lítio, que prevê a criação de uma indústria associada à sua exploração.

Em audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, na Assembleia da República, o governante indicou que o Executivo está a "trabalhar num plano para o lítio", que inclui "uma maior responsabilização, [...] para que as concessões sejam integradas em projetos em que não haja apenas extração do minério, mas que criem valor acrescentado na cadeia industrial que se segue à sua extração".

"O que estamos a fazer é a olhar para este recurso como um recurso importante e queremos alterar a forma como são dadas as concessões nesta área", salientou o ministro.

Em março passado, o grupo de trabalho do lítio, constituído por entidades do setor para avaliar a possibilidade de produção em Portugal, propôs ao Governo um programa de fomento mineiro que teste tecnologia e demonstre o potencial industrial deste metal, financiado por programas financeiros.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon