Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Empresa de Coimbra da área espacial com faturação de quatro milhões de euros

Logótipo de O Jogo O Jogo 25/08/2017 Administrator

A Active Space Technologies (AST), empresa da área espacial com sede em Coimbra, prevê chegar ao fim do ano com uma faturação de quatro milhões de euros, foi hoje anunciado durante uma visita do presidente da Câmara.

O diretor da AST, Ricardo Patrício, disse ao autarca Manuel Machado que a empresa "tem vindo a faturar" na ordem dos três milhões de euros nos últimos anos, valor que deverá crescer para quatro milhões no final de 2016.

"Estamos a conter o nosso esforço de vender", admitiu Ricardo Patrício, revelando que a empresa, que regista um crescimento de 20% ao ano e que emprega mais de 70 trabalhadores, maioritariamente com formação superior, enfrenta atualmente um problema de falta de espaço para poder expandir-se.

Em declarações aos jornalistas, Manuel Machado afirmou que a Câmara Municipal "vai ajudar" a Active Space Technologies "na ampliação das instalações", na Zona Industrial de Taveiro, na margem esquerda do rio Mondego.

O autarca socialista, que se recandidata ao cargo nas eleições de 01 de outubro, salientou que esta empresa tecnológica, criada por jovens universitários, em 2004, resultou de "uma sementeira lançada, sobretudo, a partir do Instituto Pedro Nunes" (IPN), liderado pela professora Teresa Mendes.

"É relevante que Portugal e a cidade tenham cientistas que sabem ser empreendedores", sublinhou, ao referir que a indústria espacial "é um setor exigente" que emprega "quadros altamente qualificados", alguns deles formados na Universidade de Coimbra.

A AST presta "serviços avançados" e realiza investigação e desenvolvimento de "produtos e soluções inovadores na área espacial", segundo a empresa.

Manuel Machado visitou também a Plural, uma cooperativa farmacêutica que se reinstalou nos últimos meses na antiga Fábrica da Cerveja.

Miguel Silvestre, presidente da Plural, disse que a empresa investiu 8,8 milhões de euros no projeto de recuperação e adaptação do imóvel, na antiga estrada nacional 1, a norte da cidade de Coimbra, e que os trabalhos foram realizados no prazo previsto de 13 meses.

A inauguração deverá ser marcada para a segunda quinzena de outubro, acrescentou.

Com mais de 1.200 associados, entre as cerca de 3.000 farmácias que operam no país, a Plural nasceu da fusão de três cooperativas da área da distribuição de medicamentos que intervinham na região Centro: Farbeira, Cofarbel e Farcentro.

Miguel Silvestre disse que a Plural "detém 10% da quota de mercado" do medicamento em Portugal e possui instalações na Maia, Covilhã, Caldas da Rainha, Montijo e Faro, além de Coimbra, onde tem a sua sede.

A entrada em funcionamento das novas instalações, numa zona da cidade que teve no passado um importante polo industrial, veio mostrar "que a cidade está a regenerar-se com qualidade", afirmou Manuel Machado.

"A regeneração urbana é possível mesmo em territórios como este", sublinhou ao autarca do PS, que é também presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon