Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Enoturismo contribui para criação de emprego e valorização do interior

Logótipo de O Jogo O Jogo 15/09/2017 Administrator

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, defendeu hoje, em Vila Real, que o enoturismo pode dar um contributo "muito importante" para a criação de emprego, valorização das regiões do interior e do produto vinho.

Manuel Caldeira Cabral participou na assinatura de 11 contratos de financiamento do Programa Valorizar, que vão alavancar um investimento de 4,7 milhões de euros no Douro, território que assenta a sua economia na produção de vinho, mas onde o turismo representa cada vez mais um papel de destaque.

Os projetos que vão ser concretizados nesta região, por entidades públicas e privadas, estão ligados a enotecas e quintas, apoio à investigação e promoção no domínio do enoturismo.

"O enoturismo pode dar um contributo muito importante para trazer valor às regiões e mais emprego e também para valorizar o produto mais importante destas regiões que é o vinho", afirmou o ministro, no final da cerimónia, que decorreu na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real.

Segundo Manuel Caldeira Cabral, as exportações de vinho em Portugal tiveram "um crescimento interessante", de cerca de 8%, no primeiro trimestre deste ano, um crescimento em termos de quantidade mas também no valor do produto.

Sobre os projetos aprovados pelo Programa Valorizar para o Douro, o ministro disse que vão alavancar o enoturismo neste território, ajudá-lo a crescer mais rapidamente e de forma mais organizada e estruturada e, por fim, apelou a um trabalho "em conjunto" de todos os agentes públicos e privados.

O ministro sublinhou que o "interior do país não é uma zona que tenha que ficar condenada a ficar parada".

Os contratos de financiamento foram assinados no âmbito da Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior -- Programa Valorizar.

Entre os projetos está o "Douro Valley Center", da UTAD, num investimento total de 400 mil euros que visa a requalificação da casa da quinta da academia para acolhimento ao visitante, para centro cultural e histórico, ponto de chegada e partida para percursos pedonais, de bicicleta e de fruição enológica.

Em Vila Nova de Foz Côa, o município vai aplicar dois milhões de euros no "Foz Côa Story House", que contempla a reconstrução e reconversão de um edifício municipal em ruínas para um espaço cultural de exposição e promoção dos recursos endógenos, para eventos, winebar e alojamento.

O projeto "Aneto Wine" propõe a remodelação do interior de uma loja no cais de mercadorias da estação ferroviária do Peso da Régua. Neste mesmo cais, vai ser instalado o "Locomotiva -- Wine & Gourmet", um bar com tapas regionais e uma mercearia tradicional.

Também no Peso da Régua, o Museu do Douro vai lançar o projeto "INclusivo" para a promoção da Região Demarcada do Douro e que inclui uma aposta no turismo acessível (museu inclusivo) e o desenvolvimento e promoção de projetos em rede.

Em Sernancelhe, o solar dos Araújo Coutinho vai ser reabilitado para a criação de cinco unidades de alojamento de turismo de habitação, na aldeia de Arnal, no Parque Natural do Alvão, nascerá um projeto de turismo de habitação que pretende proporcionar experiências ligadas à paisagem e à prática de atividades de natureza e, na Quinta de La Rosa, em Alijó, o investimento vai ser aplicado no restaurante "Cozinha da Clara".

A Adega de Favaios vai apostar no enoturismo e, no vale do Tua. O projeto aprovado visa a implementação das Portas do Parque Natural Regional e, em Sabrosa, a antiga casa do escritor Miguel Torga vai ser transformada numa unidade museológica e polo turístico.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon