Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Entre 30 mil e 50 mil pessoas presas pelos 'jihadistas' em Raqa - ONU

Logótipo de O Jogo O Jogo 11/07/2017 Administrator

A ONU estima que há entre 30 mil e 50 mil pessoas que permanecem presas pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), na cidade síria de Raqa e cuja situação se deteriora rapidamente.

"É imperativo que se permita que os civis presos saiam por uma passagem segura para que recebam proteção e abrigo", pediu o porta-voz da Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Andrej Mahecic, numa conferência de imprensa.

Neste sentido, o ACNUR comunicou que completou uma primeira série de escoltas humanitárias até Qamishli, na província de Hassakeh (nordeste da Síria), numa operação que durou duas semanas, e que abriu uma nova rota de ajuda para quem está em Raqa.

Esta passagem foi fechada há quase dois anos devido ao conflito armado.

Desde o início de abril, foram registadas mais de 190 mil pessoas deslocadas na província de Raqa.

A nova rota será utilizada de forma regular para os envios de ajuda desde Damasco, Homs e Alepo, de acordo com o ACNUR.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon