Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Espanha/Ataques: Extrema-direita holandesa fala de "guerra" com o Islão e pede medidas

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/08/2017 Administrator

O líder da extrema-direita holandesa, Geert Wilders, comentou hoje os atentados na Catalunha afirmando que o mundo está "em guerra" com o Islão e pedindo um debate parlamentar para adotar medidas para "prevenir a islamização" da Holanda.

"É de grande importância debater as consequências disto para a segurança dos cidadãos e a sociedade holandesa o mais rapidamente possível e tomar medidas para impedir a islamização da Holanda e prevenir ataques terroristas islamitas", disse Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV).

O político insistiu na presença do primeiro-ministro, Mark Rutte, nesse debate e defendeu que as férias parlamentares sejam encurtadas para que ele se realize rapidamente.

"Estamos em guerra. O Islão declarou-nos guerra e a esquerda está a apoiá-lo", disse.

O PVV, de extrema-direita eurocética e xenófoba, foi o segundo partido mais votado nas legislativas de março na Holanda.

Espanha foi alvo na quinta-feira de dois ataques terroristas, em Barcelona e em Cambrils, Tarragona, que fizeram 14 mortos e 135 feridos.

O ataque de Barcelona, em que uma furgoneta branca avançou sobre a multidão nas Ramblas, grande avenida do centro da capital catalã, matando 13 pessoas, foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Horas depois, de madrugada, cinco homens a bordo de um automóvel Audi A3 atropelaram um grupo de pessoas em Cambrils, Tarragona, uma estância balnear a cerca de 100 quilómetros de Barcelona, fazendo um morto e cinco feridos.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon