Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Estónio Ott Tänak, segundo no Mundial de ralis, na Toyota em 2018

Logótipo de LusaLusa 18/10/2017 João Pedro Simões
REPORTER IMAGES/REPORTER IMAGES © EPA / REPORTER IMAGES REPORTER IMAGES/REPORTER IMAGES

Redação, 18 out (Lusa) – O estónio Ott Tänak, atual segundo classificado do Mundial de ralis (WRC), vai deixar a M-Sport e disputar o campeonato em 2018 pela Toyota, substituindo o finlandês Juho Hänninen, confirmaram hoje as duas equipas.

A equipa nipónica, dirigida por Tommi Mäkinen, confirmou a contratação de Tänak, de 30 anos, a partir do Rali de Monte Carlo, a disputar entre 25 e 28 de janeiro, juntamente com o seu copiloto Martin Järveoja.

“Estamos muito satisfeitos por ter assegurado os préstimos do Ott, sobre o qual estamos atentos há muito tempo. Ele é uma mistura perfeita de experiência e juventude, com uma boa atitude, pelo que vai integrar-se bem na minha equipa”, afirmou Mäkinen, citado pela Toyota.

Os outros dois Toyota Yaris da equipa vão ser pilotados pelos finlandeses Jari-Matti Latvala/ Miikka Anttila e Esapekka Lappi/Janne Ferm, enquanto Kaj Lindström, atual copiloto de Hänninen, vai assumir o cargo de diretor desportivo da equipa, já a partir do Rali da Austrália, a disputar entre 16 e 19 de novembro.

Tänak soma dois triunfos, na Sardenha e na Alemanha, ambos em 2017, e 10 pódios em 77 provas do WRC desde 2009. Atualmente, quando faltam disputar dois ralis para o fim da temporada, ocupa o segundo lugar da classificação de pilotos, com 161 pontos, menos 37 do que o seu companheiro de equipa Sébastien Ogier (Ford Fiesta), tetracampeão do mundo.

“É com o coração partido que a equipa se despede de Ott e Martin, que têm sido parte importante do sucesso deste ano (…). Ele sempre foi rápido. Chamou-me a atenção desde o primeiro minuto, nunca tive dúvidas da sua velocidade, mas ultimamente completou-se, como vencedor de ralis e possível candidato ao título”, disse Malcom Wilson, o ‘patrão’ da M-Sport, que pode ainda perder Ogier para a Citroën.

JP // RPM

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon