Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Estado da Nação: Passos acusa Governo de "calculismo e populismo" e diz que país precisa de "muito mais"

Logótipo de O Jogo O Jogo 12/07/2017 Administrator

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou hoje o Governo de "calculismo e populismo latente" e o Estado de "falhar clamorosamente" nos recentes acontecimentos de Pedrógão Grande e Tancos, defendendo que o país precisa de "muito mais".

Na sua intervenção de fundo no debate do estado da Nação, Passos Coelho afirmou ainda que "caiu a máscara do fim da austeridade", atribuindo os resultados económicos conseguidos a um 'plano B', que passou por cortes em várias áreas.

"A meio da legislatura o país descobriu que a economia pode até estar a andar melhor, mas que a responsabilidade política está a fracassar em grande estilo", acusou.

Para Passos Coelho, depois dos incêndios de Pedrógão Grande, onde morreram pelo menos 64 pessoas, e do furto em instalações militares, "a geringonça, que se habituou aos ventos favoráveis e às boas notícias, ainda não encontrou um caminho para responder aos anseios dos portugueses".

"Mas agora que ficaram expostas as fragilidades, as contradições, as simulações, o calculismo e o populismo latente, agora começa a sentir-se que precisamos coletivamente de mais qualquer coisa. O país precisa, pelo menos, de liderança e de objetivos mobilizadores e efetivos", afirmou.

"Precisamos, enquanto país, de muito mais", defendeu, considerando que "ficar unicamente à espera de melhores ventos e da sorte não chega".

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon