Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Estudiosos do mosaico romano de Portugal e Argélia reúnem-se em Condeixa

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

As especificidades dos mosaicos romanos de Portugal e Argélia motivam a realização, em Condeixa-a-Nova, no sábado, de um encontro internacional de investigadores deste "passado comum".

"É livre a participação neste encontro, que organizamos no âmbito das ações do movimento para a promoção da candidatura de Conímbriga a Património Mundial da UNESCO", disse à agência Lusa o arqueólogo Miguel Pessoa, da organização.

A iniciativa, na Pousada de Condeixa (antigo solar dos Almada), começa às 09:00 e conta com a participação de especialistas portugueses de Braga, Alter do Chão, Lisboa, Rabaçal (Penela), Conímbriga (Condeixa-a-Nova), Santiago da Guarda (Ansião) e Mértola, bem como galegos (Espanha), italianos, franceses e alemães.

Além de aprofundar os estudos do mosaico romano, o Encontro Portugal -- Argélia: Mosaicos Romanos -- Fragmentos de um Passado Comum também pode contribuir "para um melhor desenvolvimento da região e do país", constituindo ainda "uma oportunidade para colocar estes valores patrimoniais ao serviço das comunidades", adiantou Miguel Pessoa, da Comissão Promotora da Associação Portuguesa para o Estudo e Conservação do Mosaico Antigo (APECMA).

"Esta reunião internacional será sobretudo um momento de encontro de estudiosos, profissionais e amadores, vindos de vários pontos de Portugal e da Argélia, bem como da Alemanha, França, Espanha e Itália, da área do mosaico romano e ainda do mosaico contemporâneo", afirmou.

O encontro "só ficará concluído após a edição das respetivas atas", tal como aconteceu com o volume publicado, em 2013, sobre o Encontro Portugal -- Galiza.

Dispersos por países da Europa, Norte de África e Médio Oriente, designadamente, os mosaicos romanos são "um património que remonta pelo menos ao tempo de Cristo", salientou Miguel Pessoa.

A APECMA, localizada em Condeixa-a-Nova, distrito de Coimbra, é uma secção da Associação Internacional para o Estudo do Mosaico Antigo, com sede na Escola Normal Superior de Paris.

O programa inclui, já hoje à noite, às 21:30, na igreja quinhentista de Condeixa-a-Velha, implantada no interior da muralha romana de Conímbriga do século I, a atuação do Coro do Museu do Louvre (França) e do Coro da Igreja de Condeixa-a-Velha.

Está igualmente prevista uma reunião entre a encarregada de negócios da Embaixada da Argélia e "representantes de empresas portuguesas que exportam e laboram" neste país, a fim de "serem reforçados os laços de amizade e cooperação" entre os dois estados.

O encontro é organizado pela APECMA, Câmara de Condeixa, Centre National de Recherche en Archéologie (Argélia), Centro de Estudos Vergílio Correia, Associação Ecomuseu de Condeixa, Movimento para a Promoção da Candidatura de Conímbriga a Património Mundial, Museu de Conímbriga, Embaixada da Argélia, Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Xeografia e História da Universidade de Santiago de Compostela (Galiza), Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra, Centro Internazionale di Documentazione sul Mosaico de Ravenna (Itália), Campo Arqueológico de Mértola, Museu do Louvre (França), União das Freguesias de Condeixa-a-Velha e Condeixa-a-Nova e Unidade Pastoral de Conímbriga.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon