Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

EUA admitem que chefe do grupo Estado Islâmico possa estar vivo

Logótipo de O Jogo O Jogo 21/07/2017 Administrator

O secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, admitiu hoje que o chefe do grupo extremista Estado Islâmico (EI), Abou Bakr al-Baghdadi, esteja vivo.

"Penso que Baghdadi está vivo e pensarei outra coisa quando soubermos que o matámos", declarou James Mattis aos jornalistas, acrescentando: "Queremos apanhá-lo e partimos do princípio de que está vivo".

A morte do chefe do IE (Daesh no seu acrónimo em árabe) foi anunciada no início de julho pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, no dia seguinte ao da proclamação pelo governo do Iraque da sua vitória em Mossul sobre aquele grupo radical.

Esta não foi a primeira vez que o autoproclamado califa do Deash foi dado como morto. Os militares russos anunciaram em 22 de junho que tinham "uma forte probabilidade" de ter morto Abou Bakr al-Baghdadi.

Desde 2014 que têm circulado numerosos rumores sobre a sua morte, mas nunca algum foi confirmado.

Os EUA oferecem 25 milhões de dólares (21 milhões de euros) pela sua captura.

Uma gravação áudio de Al-Baghdadi tinha sido difundida em novembro de 2016, na que é a última manifestação pública do líder do Estado Islâmico.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon