Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Europeu feminino: equipas já estão formadas e Escócia reclama igualdade financeira

Logótipo de O Jogo O Jogo 27/06/2017 Alcides Freire

Portugal chega ao campeonato como a equipa pior posicionada na hierarquia mundial da FIFA

A capitã Vera Boquete ou a goleadora Soni Bermudez ficaram fora das escolhas na seleção feminina espanhola, enquanto as inglesas estarão no Europeu sem Eniola Aluko e as escocesas depois de ultrapassarem um diferendo financeiro.

Portugal chega ao campeonato, na Holanda, de 16 de julho a 6 de agosto, como a equipa pior posicionada na hierarquia mundial da FIFA (38ª), mas as suas adversárias no grupo D mostraram outros problemas antes do início da prova.

Desde logo, a Inglaterra, umas das candidatas a fragilizar o domínio da octocampeã europeia Alemanha, que viu o selecionador, o galês Mark Sampson, deixar de fora a avançada Eniola Aluko, do Chelsea.

Aluko, de 30 anos, esteve no Mundial2015, competição em que as inglesas chegaram ao terceiro lugar, mas para o Europeu não fez parte das opções, e deixou fortes críticas ao técnico de Inglaterra, considerando que este não privilegia o rendimento.

© NUNO ANDRÉ FERREIRA

Sampson chamou pela primeira vez Millie Bright (Chelsea), Demi Stokes, Isobel Christiansen e Nikita Parris (Manchester City), num grupo em que conta também com a experiência de cinco jogadoras acima das 100 internacionalizações: Fara Williams, Casey Stone, Karen Carney, Jill Scott e Alex Scott.

Já a Espanha, vencedora da Algarve Cup e treinada por Jorge Vilda, não terá na competição a capitã Vera Boquete, por opção, num momento em que a imprensa espanhola diz que o selecionador preferiu não convocar as futebolistas mais velhas da 'Roja'.

Jorge Vilda deixou de fora Boquete (30 anos, Paris Saint-Germain), Soni Bermudez (32 anos, Atlético Madrid, segunda melhor marcadora na Liga, com 32 golos) ou Natalia Pablos (31 anos, Rayo Vallecano, quarta melhor marcadora, com 21 golos).

"Todas as decisões são desportivas, pelo rendimento, e pensamos que estas jogadoras [as escolhidas] são as que nos vão aproximar mais da vitória. Levamos a primeira e a terceira (Jenni e Mari Paz)", justificou Vilda à imprensa espanhola em relação às melhores marcadoras.

Quanto à Escócia, foi a que divulgou mais tarde a lista das futebolistas, após ultrapassar um diferendo entre as atletas e a Federação, no qual as jogadoras reclamaram maior paridade e igualdade com a seleção masculina em matéria financeira.

A equipa, treinada pela ex-futebolista sueca Anne Signeul, fará, tal como Portugal, a sua estreia num Europeu, num grupo em que a estrela Kim Little (Arsenal) é a grande ausente, com uma rotura nos ligamentos de um joelho, bem como Lizzie Arnot.

A selecionadora, que ainda divulgará uma 23ª jogadora no final da semana, considera que a Escócia caiu no pior grupo possível, sobretudo por ter pela frente a Inglaterra, semifinalista no último Mundial, e a Espanha, campeã na Algarve Cup'2017.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon