Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Europeus de atletismo: Nelson Évora na final do triplo, para despedida

Logótipo de LusaLusa 05/03/2017 Filipe Bravo
INÁCIO ROSA/LUSA © LUSA / INÁCIO ROSA INÁCIO ROSA/LUSA

Belgrado, 05 mar (Lusa) - A defesa do título de campeão da Europa de triplo salto em pista coberta não vai ser fácil para Nelson Évora, um dos nove participantes na final que se disputa hoje à tarde, em Belgrado.

Évora, de 32 anos de idade, tem aqui como maior rival o alemão Max Hesse, que nas qualificações 'voou' para uma clara liderança mundial da época, com 17,52 metros.

Hess, de 20 anos apenas mas já vice-campeão do mundo na especialidade, no ano passado, poderá ser um dos grandes nomes do triplo a curto prazo, numa renovação que também passa pelo francês Melvin Raffin, de 19 anos, segundo nas qualificações, com 17,20.

Com melhor marca que Évora nesta final aparecem ainda o francês Jean-Marc Pontvianne (17,13) e o letão Elvis Misans (16,81).

O português aparece em seguida, quinto com 16,79 metros. Terá de estar ao nível do seu melhor, o recorde nacional de 17,33, para entrar na luta das medalhas.

Completam a final o veteraníssimo (40 anos) italiano Fabeizio Donato (16,70), o finlandês Simo Lipsanen (16,76), o búlgaro Georgi Tsonov (16,73) e o espanhol Pablo Torrijos.

Évora é o sétimo a saltar, a partir das 15:04, e terá sempre direito a seis saltos, ao contrário das qualificações, limitadas a três (mas onde lhe bastou um).

Três minutos depois do arranque da final do triplo, Lòrene Bazolo estará na segunda semi-final de 60 metros. A velocista lusa, que corre na pista 1, tem a quarta marca entre as inscritas na sua série, o que torna muito difícil a passagem à final, em fecho de jornada.

Passam as primeiras duas de cada uma das três corridas e as duas restantes mais rápidas.

Portugal competiu com dez atletas nestes Europeus de Belgrado e após dois dias o saldo é já bastante positivo, com uma medalha de prata (Patrícia Mamona), mais três lugares de top-8, um recorde nacional absoluto (Tsanko Arnaudov) e vários máximos pessoais

FB // NF

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon