Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Félix da Costa pronto para a "guerra"

Sportinveste 03/05/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
Félix da Costa pronto para a "guerra" © Sportinveste Multimédia Félix da Costa pronto para a "guerra"

O Campeonato Alemão de Carros de Turismo (DTM) 2014 arranca no domingo, no circuito alemão de Hockenheim, com sete campeões da disciplina no pelotão e um estreante português, António Félix da Costa, que promete "ir à guerra".

"Não quero estar a prometer nada porque não faço a mínima ideia do nosso estado de competitividade neste momento [face aos outros], mas como piloto ambicioso que sou - na minha carreira já cheguei à World Series e sem treinos ganhei quatro corridas - não vejo porque não ser bem-sucedido no DTM. Por isso vamos à guerra, trabalhar e esforçar-me", declarou à Lusa António Félix da Costa, que se estreia ao volante de um BMW M4 DTM, da equipa MTEK.

Inicialmente dedicado quase em exclusivo à Alemanha, o DTM é atualmente um fenómeno mais global, com provas nos circuitos alemães, mas como também na Rússia, China ou Hungria.

Nas mãos dos 23 pilotos estão carros de Audi, Mercedes e BMW com motores V8 e cerca de 500 cavalos de potência, submetidos a um conjunto de regulamentos técnicos destinado a aumentar a competitividade do campeonato.

"É proibido mexer na afinação do carro, uma vez que saímos para a primeira volta de qualificação. Esse será o 'setup' que vamos ter de usar na corrida também. Para mim, isso vai ser novo, porque até hoje sempre pude ter uma afinação de qualificação e outra de corrida e aqui no DTM temos de comprometer um pouco as duas coisas", salientou Félix da Costa.

Por outro lado, o DTM aplica um sistema de lastros nos carros mediante o qual os pilotos que se classificam nas primeiras posições partem com peso adicional (até 5 quilos por corrida e até 10 quilos no total) na corrida seguinte, enquanto outros pilotos retiram peso do carro.

Além do campeão em título, o alemão Mike Rockenfeller (Audi RS 5), o pelotão integra outros seis campeões do DTM: o seu colega de equipa e compatriota Timo Scheider, o escocês Paul Di Resta (Mercedes AMG C-Coupé), o sueco Mattias Ekstrom (Audi), o canadiano Bruno Spengler (BMW), o alemão Martin Tomczyk (BMW) e o britânico Gary Paffett (Mercedes).

António Félix da Costa considera que "o saber acumulado" destes pilotos contará muito na competição.

"A experiência dos que já lá estão há 10, 15 anos vai contar muito. Eles sabem que, no treino livre, às 9:00 da manhã o carro vai bater muitas vezes no chão por causa da pressão dos pneus e do frio, mas dizem para não mexer em nada porque à uma da tarde já faz mais calor e o carro sobe mais. Eles já fazem as mesmas corridas e as mesmas pistas há tantos anos que esses detalhes podem ajudar, pelo menos a começar melhor o ano", sublinhou o piloto português.

Félix da Costa diz que responderá com agressividade.

"Nós, os mais novos, que saímos das fórmulas e que temos a F1 na cabeça, vimos agressivos, sem nada a perder e queremos mostrar serviço logo. Eu vou com uma mentalidade agressiva, mas com juízo - obviamente - para ganhar o meu espaço no campeonato", declarou.

O piloto português da BMW sucede no DTM a Filipe Albuquerque, que disputou o campeonato nos últimos três anos ao volante de um Audi.

A primeira corrida do DTM começa às 12:30 de domingo, no circuito alemão de Hockenheim, num total de 42 voltas.

Fonte: O Jogo

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon