Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Falta de influência nas contratações levou Quim Machado à saída do Belenenses

Logótipo de O Jogo O Jogo 24/04/2017 João Cardoso

Poucos dias após a saída do Belenenses, Quim Machado conta o que motivou o fim de uma ligação que durava há seis meses. A primeira grande entrevista decorreu num hotel de Santo Tirso, cidade onde nasceu a 10 de outubro de 1966 e onde reside.

Espera resolver rapidamente o acordo de rescisão com o Belenenses?

-O acordo é uma questão simples de resolver. Falta-lhes pagar três salários e será muito fácil chegar a um acordo. Estou disponível para chegarmos a um fim em que não seja necessário termos que ir para tribunal. Não é isso que se pretende, o que desejamos é um acordo. Vou esperar e acredito que na próxima semana haverá um entendimento.

© Fornecido por O jogo

Por que razão não aceitou renovar contrato?

-Há pouco mais de um mês propuseram-me a renovação. Entendi que o contrato não seria o ideal para mim, tinha algumas cláusulas com as quais não concordava. Achei que não seria bom renovar e transmiti que, a partir daquele momento, não renovava.

Não concordava com algumas cláusulas. Quais?

-Um treinador tem de ter influência nas contratações, porque tem um modelo de jogo, concordo que a SAD tem uma palavra a dizer, mas o treinador é fundamental no projeto, o que implica que aumente a sua responsabilidade. Senti que no Belenenses podia não ser assim e foi uma das razões que me levou a não renovar.

É verdade que houve interferências da SAD nas convocatórias?

-Não, esta época nunca houve interferências. Foram sempre corretos e nunca houve qualquer tipo de problema. O que esteve em causa foram cláusulas com as quais não concordo - se calhar outros treinadores aceitam. Ao não querer que fosse assim, assumo a minha responsabilidade. Não quis aceitar, mas a SAD também tinha o seu direito de propor um contrato desses.

Em resumo, essas cláusulas impostas pela SAD não lhe agradavam...

-Para a minha forma de trabalhar, preciso de ter algum poder na questão das contratações. É fundamental não fugirmos às nossas responsabilidades. Não estou a dizer que o treinador tenha de ser cem por cento responsável pelas contratações, deve haver uma sintonia entre treinador e Direção. Gosto de assumir as minhas responsabilidades e naturalmente que também passa por contratações ou por tudo o que envolve o trabalho do treinador.

Se ficasse no Belenenses não iria sentir-se bem? É isso?

-Poderia acontecer isso e para evitar conflitos preferi não renovar. Como nunca tive problemas em nenhum clube e sempre saí com uma boa relação com toda a gente. E vai ser o que vai acontecer no Belenenses porque não quero conflitos com ninguém. Pelo contrário. No entanto, sou livre de escolher o que pretendo e foi essa a minha decisão. Mas não tenho nada contra ninguém nem guardo rancor a ninguém da SAD ou ao presidente. Tenho direito de escolher se quero renovar ou não.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon