Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Falta de união entre países de língua espanhola e portuguesa em Londres ensombra Mês Amigo

Logótipo de O Jogo O Jogo 06/09/2017 Administrator

As dificuldades para unir as diferentes comunidades de língua portuguesa e espanhola em Londres ainda ensombram a sétima edição do Mês Amigo, que arranca na quinta-feira, mas o principal promotor acredita que a iniciativa vai vingar.

O Mês Amigo, que celebra anualmente os países de língua portuguesa e espanhola, começa na quinta-feira em Londres com a comemoração do dia da Independência do Brasil e da data em que Portugal reconheceu a independência de Moçambique.

Na sétima edição, o evento dura cinco semanas, entre 07 de setembro e 12 de outubro, e inclui datas significativas relativas a cada país e região hispanófona e lusófona, incluindo Goa.

O 05 de outubro, que marca a instauração da República Portuguesa, é o dia relativo a Portugal, enquanto Cabo Verde merece alusão no dia 12 de setembro, dia do nascimento de Amílcar Cabral, que lutou pela independência do país.

O objetivo é criar algo semelhante ao Mês da História Negra ou ao Mês da História LGBT, períodos durante os quais são promovidas atividades pedagógicas e artísticas nas escolas, bibliotecas ou outros locais no Reino Unido sobre os respetivos temas.

Este ano, segundo a organização do Mês Amigo, haverá celebrações especiais dos respetivos dias nacionais por 15 comunidades nacionais e missões diplomáticas durante este período, que coincidirá com outras manifestações artísticas e festivais de cinema, música e teatro.

A origem da iniciativa remonta a 2008, quando foi feita uma campanha para reunir 10.000 assinaturas para que a minoria ibero-americana fosse reconhecida e um mês dedicado a celebrar as suas diferentes culturas.

Em 2010, o então Mayor de Londres, Boris Johnson, participou num encontro promovido pela então autodeterminada Aliança Luso-Hispânica e Ibero-Americana e manifestou abertura à ideia, que se concretizou no ano seguinte.

O lançamento oficial da edição de 2017 será feito na quarta-feira à noite num restaurante no bairro de Elephant & Castle, onde existe uma numerosa comunidade latino-americana, com a presença de algumas personalidades, incluindo a vice-Mayor de Londres, Joanne McCartney.

A embaixada de Portugal estará representada, mas não pelo embaixador, e a missão diplomática de Moçambique em Londres só manifestou que iria participar depois de abordada pela agência Lusa.

A organização admite dificuldades em unir as diferentes comunidades para se envolverem e participarem, admitiu o peruano Isaac Bigio, um dos principais promotores da iniciativa, à Lusa.

"Havia latino-americanos que preferiam um Mês Hispano, como nos EUA e no Canadá. Alguns africanos lusófonos não concordavam com o termo 'ibero-americanos'", revelou.

A forma que encontrou para tentar um terreno comum foi a denominação "Amigo" para denominar o Mês dedicado à celebração das suas culturas.

"É a palavra estrangeira mais popular no Reino Unido e une as duas línguas", justifica.

Isaac Bigio acredita que é importante que as autoridades britânicas continuem a reconhecer o evento, que espera que continue a crescer para o resto do país.

"Acho que em 2019, quando celebramos 500 anos desde que portugueses e espanhóis iniciaram a primeira volta ao mundo, vai estar implantado a nível nacional", sublinhou.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon