Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

FC Porto recorre para Conselho de Justiça da federação de andebol

Logótipo de O Jogo O Jogo 30/05/2017 Pedro Rocha

O Conselho Técnico da Federação de Andebol indeferiu, por unanimidade, o protesto interposto pelo FC Porto relativamente ao jogo com o Benfica, no qual perdeu a liderança, alegando erros de arbitragem

O FC Porto anunciou o recurso ao Conselho de Justiça da Federação de Andebol de Portugal (FAP) pelo indeferimento do protesto relativamente ao jogo com o Benfica, no qual perdeu a liderança, na penúltima jornada da prova.

O conselho técnico da FAP indeferiu, por unanimidade, o protesto interposto pelo FC Porto, considerando não existirem fundamentos, e confirmou a vitória do Benfica, por 28-27, na nona e penúltima jornada do campeonato, a primeira em que os dragões não estiveram no comando da competição, perdido para o Sporting.

O FC Porto contesta dois erros de arbitragem ocorridos nos derradeiros segundos do encontro da Luz, o primeiro dos quais um golo que entende mal anulado a Alexis Borges, na conclusão de uma situação de advertência de jogo passivo, que colocaria os portistas na frente por 27-28 - na resposta, o Benfica marcou e assim atingiu a vantagem final.

O outro lance decorreu após o tento encarnado e os portistas reclamam uma não desqualificação e, acima de tudo, pela não marcação de um livre de sete metros nos derradeiros segundos, após falta de Tiago Pereira sobre Rui Silva.

O jogador do Benfica Belone (D) em ação com o jogador do FC Porto Semedo (E) durante a 9ª jornada da fase final do Campeonato Nacional de Andebol no Pavilhão da Luz em Lisboa 20 de maio de 2017. MÁRIO CRUZ/LUSA © MÁRIO CRUZ O jogador do Benfica Belone (D) em ação com o jogador do FC Porto Semedo (E) durante a 9ª jornada da fase final do Campeonato Nacional de Andebol no Pavilhão da Luz em Lisboa 20 de maio de 2017. MÁRIO CRUZ/LUSA

"Por acontecer nos últimos 30 segundos do jogo, e de acordo com as regras, essa falta deveria ter sido punida com expulsão e livre de sete metros. Seria, indiscutivelmente, uma oportunidade soberana para o FC Porto restabelecer o empate de que necessitava, de forma a depender apenas de si próprio para conquistar o campeonato", justificam os dragões.

O empate manteria o FC Porto na liderança à entrada para a última jornada, em que recebe no Dragão Caixa o Águas Santas (6.º), e os portistas chegariam ao título desde que fizessem resultado igual ou melhor do que o do Sporting na receção ao Benfica (3.º)

A decisão do Conselho Técnico da FAP foi tomada ainda antes da realização da última jornada, que decorre na quarta-feira, em que o Sporting parte com uma vantagem de um ponto sobre o FC Porto, para chegar ao título que lhe foge desde 2000/01.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon