Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Federação propõe ação de luta da administração pública em outubro

Logótipo de O Jogo O Jogo 18/09/2017 Administrator

A Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) vai apresentar na terça-feira à Frente Comum uma proposta para a realização de uma luta dos trabalhadores da administração pública, a concretizar em outubro.

Em comunicado, a FNSTFPS informou que a ação de luta será em "defesa da proposta reivindicativa comum para 2018, que em breve será entregue ao Governo", para ser considerada na proposta do Orçamento do Estado para o próximo ano.

Numa reunião realizada hoje, a direção nacional da FNSTFPS concluiu que o "Governo não está a dar reposta às reivindicações" relacionadas com salários, carreiras e emprego, assim como a questões setoriais.

Em comunicado, a direção nacional manifestou a sua preocupação por se "manter, por mais um ano, o congelamento dos salários" e denunciou a "tentativa de confundir os trabalhadores" ao misturar-se aumentos salariais com o eventual descongelamento da progressão nas posições remuneratórias".

A federação afirmou ainda a sua preocupação com as regras fixadas no processo de vinculação que impede que a "maior parte dos trabalhadores em precariedade não venham a ser colocados nos mapas de pessoal respetivos".

A FNSTFPS lembrou que o ministro do Trabalho referiu no passado dia 13 que o vínculo seja regularizado a menos de 20 mil trabalhadores, um "número que fica bem longe dos 116 mil identificados pelo próprio Governo" antes do início deste processo.

A nível setorial, as principais críticas dirigem-se ao Ministério da Saúde, por não negociar a criação da carreira profissional de técnico auxiliar de saúde e os contratos coletivos para funcionários dos hospitais EPE.

Assim, foi decidida a realização de uma vigília dos trabalhadores da Saúde, entre as 16:00 e as 22:00 de 12 de outubro junto do Ministério da Saúde, em Lisboa.

Já na educação, a FNSTFPS quer que o ministério negocie a criação da carreira especial para o pessoal não docente.

A federação lembrou ainda a convocação de uma greve de 24 horas para 09 de outubro dos trabalhadores das carreiras de inspeções da ASAE.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon