Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Feira de armas começou hoje na Califórnia sem "politizar" massacre de Las Vegas

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/10/2017 Administrator

Menos de uma semana depois do tiroteio ocorrido em Las Vegas que fez 59 mortos e mais de 500 feridos, uma feira de armas na Califórnia começou hoje nova edição, sem querer "politizar o trágico acontecimento", segundo os organizadores.

O evento "Encruzilhadas do Oeste", que decorre este fim de semana em Costa Mesa, a sudeste de Los Angeles, inicia uma nova edição depois de, no passado domingo, 01 de outubro, Stephen Paddock, um reformado de 64 anos, ter disparado com várias armas automáticas, a partir de um quarto do hotel Mandalay Bay, sobre o público de um festival de música 'country'.

"Não vamos politizar este trágico acontecimento", declarou Robert Templeton, presidente do certame, que espera receber cerca de 12.000 visitantes.

Os organizadores da feira, que se realiza há 35 anos, expressaram as suas condolências pelas vítimas e familiares do massacre, cujo autor se suicidou a seguir.

"A horrível tragédia em Las Vegas foi, como disse o Presidente [Donald] Trump, 'um ato de pura maldade'", acrescentou Templeton.

Várias organizações que defendem um maior controlo de armas, como a Coligação para Deter a Violência Armada (CSGV), pediram que a feira fosse adiada, por consideração para com as vítimas do massacre no estado do Nevada.

"Os Estados Unidos são o único país industrializado onde estes massacres continuam a acontecer", disse em comunicado John Horwitz, diretor da CSGV, após o ataque de Las Vegas, considerado o maior massacre com armas de fogo ocorrido na história recente dos Estados Unidos.

A Califórnia tem uma das legislações de controlo de compra e posse de armas mais severas do país, segundo o Centro Legal de Prevenção da Violência de Armas, que classifica o estado como o 'número um', segundo as leis vigentes.

Não obstante, os homicídios cometidos com armas de fogo aumentaram pelo terceiro ano consecutivo, de acordo com o Departamento de Justiça da Califórnia.

Em 2016, registaram-se na Califórnia 1.368 mortes causadas por armas de fogo, mais cerca de 200 do que em 2014, quando o estado apresentou o seu balanço mais baixo.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon