Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Feira de imobiliário português junta forças com empresas que querem expandir-se no Reino Unido

Logótipo de O Jogo O Jogo 08/07/2017 Administrator

A primeira Feira de Investimento Imobiliário e no Turismo no Reino Unido dedicada a Portugal realiza-se em Londres em outubro, em paralelo com um evento de negócios para empresas que se querem expandir-se para o mercado britânico.

A Feira de Investimento Imobiliário vai procurar investidores britânicos, mas também de outros países que usem a capital britânica como centro de negócios.

Em exibição, indicaram os organizadores, estarão mais 300 milhões de euros de projetos portugueses, com ênfase em empreendimentos de luxo ou, direcionados sobretudo a fundos e sociedades de investimento, em projetos integrados de reabilitação urbana.

A iniciativa faz parte do evento 'The Portuguese Offer', a realizar nos dias 20 e 21 de outubro, no centro de exposições Business Design Center, um espaço com uma área de 1.400 metros quadrados e capacidade para 132 expositores.

Dirigido ao público profissional, o evento pretende ser um "facilitador de negócios" entre os dois países, estando aberto a empresas portuguesas das indústrias da alimentação, calçado, têxteis, arte e decoração, turismo, imobiliário, moldes, porcelana, vidros e cristais, joalharia e cortiça.

Segundo os organizadores, foram feitos mais de seis mil contactos, nomeadamente com centrais de compras para hotéis e restaurantes, compradores de pequenos e médios distribuidores, escanções e negociantes de vinho, grossistas, importadores, bem como jornalistas e 'bloggers' britânicos.

O objetivo é "dar a conhecer e comercializar produtos, imobiliário, turismo e serviços de Portugal a um público que visita regularmente Portugal, mas não os encontra no seu mercado".

O "potencial" identificado na primeira edição de 'The Portuguese Offer', em 2014, em Thetford, uma cidade no este de Inglaterra, levou à realização desta segunda edição na capital britânica.

A vantagem do modelo são os acordos com transportadoras, que permitem reduzir os custos de transporte de produtos, permitindo a presença de empresas com menor dimensão.

No ano passado, o número de empresas que vendem produtos para o mercado britânico disparou 38%, para 3.733, de acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

O Reino Unido é o quarto maior cliente de bens nacionais, tendo recebido 7% das exportações portuguesas em 2016, que totalizaram 3.540 milhões de euros, mais 5,5% do que em 2015.

As categorias de máquinas, aparelhos e materiais elétricos e de veículos de transporte formam mais de um terço do total dos negócios com o Reino Unido, equivalente a 1,4 mil milhões de euros.

Porém, no top 10 estão também vestuário, produtos alimentares e calçado que, juntos, representaram 18%, o que se traduziu em 639 milhões de euros de vendas.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon