Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Fernando Gomes: "Portugal é um 'player' extremamente importante"

Logótipo de O Jogo O Jogo 05/04/2017 Ana Proença
© TIAGO PETINGA

Fernando Gomes defendeu esta quarta-feira que a sua nomeação para vice-presidente da UEFA é o reconhecimento da importância de Portugal no futebol europeu e mundial. E explicou quais serão as suas funções.

"É o reconhecimento de que Portugal é um 'player' extremamente importante no que são as definições relativamente ao futuro das competições e da própria organização", comentou o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao canal de YouTube da instituição de lidera, após a sua nomeação esta quarta-feira, no congresso da UEFA em Helsínquia, para vice-presidente do organismo que superintende o futebol europeu.

"Sendo um tributo a Portugal, não posso deixar de agradecer às pessoas, às associações distritais, ao nossos clubes, árbitros, a toda a gente que está envolvida no futebol e dá um bocadinho de si para que Portugal tenha cada vez mais esta afirmação no espaço europeu e mundial do futebol", acrescentou.

Fernando Gomes explicou ainda o que vai fazer em concreto: "Foi uma nomeação do presidente da UEFA com responsabilidade acrescida no relacionamento com os clubes, algo que já tinha vindo a fazer ao longo destes dois últimos como 'chairman' do Comité de Competições de Clubes".

"Ficou estabelecido com a ECA (Associação de Clubes Europeus) a constituição de uma sociedade a 50% entre a UEFA e a ECA e neste novo enquadramento também assumirei a administração desta nova empresa, que vai tratar de todos os assuntos que digam respeito aos aspetos comerciais da Liga Europa e Champions."

"É um desafio interessante, na medida que todos nós sabemos que a Champions League é uma competição que gera proveitos fantásticos, mas é desafio muito grande relativamente à Liga Europa, na perspetiva que os clubes terão de criar as condições de sustentabilidade que necessitam para dar um passo qualitativo do ponto de vista da competição", acrescentou Fernando Gomes.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon