Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Festival de teatro comunitário envolve duas centenas de novos atores em Leiria

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Administrator

Duas centenas de elementos de ranchos, filarmónicas, instituições de solidariedade social e outras associações participam a partir de domingo na terceira edição de Novos Ventos, festival de teatro comunitário que chega a quatro freguesias do concelho de Leiria.

A iniciativa é da companhia Leirena Teatro, que pelo terceiro ano promove o festival que pretende democratizar a experiência do teatro.

Nas próximas quatro semanas, atores profissionais orientam pequenos grupos de amadores. No final de cada semana é apresentado ao público o resultado. Depois, uma companhia profissional convidada entra em cena, para um espetáculo final.

O responsável do Leirena Teatro explica que são 20 as coletividades envolvidas, das freguesias do Souto da Carpalhosa, Arrabal, Pousos e Marrazes.

"Cerca de 200 atores vão fazer 20 espetáculos comunitários inspirados nas tradições locais, nos trajes, nas danças, nos instrumentos. Nós aparecemos e dizemos: venham fazer teatro connosco", diz Frédéric da Cruz Pires.

O diretor da companhia destaca os benefícios do Novos Ventos, "uma festa do teatro que mete a malta toda na rua, a divertir-se e a sorrir".

A vertente comunitária do festival promove "a criação de hábitos culturais, a criação de público de teatro. São pessoas que nunca fizeram teatro e que vão fazer teatro pela primeira vez, com o Leirena".

Frédéric da Cruz Pires lamenta, contudo, alguma falta de reconhecimento das "entidades artísticas nacionais e também entidades da administração central e local".

"Para quem nunca viu, pensa que é trabalho amador. E como se trata de trabalhos amadores feitos pela comunidade, pensa que não merece atenção. As pessoas são loucas. Não sabem o que é este festival", exclama.

Novos Ventos arranca no domingo, no Souto da Carpalhosa, com o espetáculo final a cargo do Trincheira Teatro, com "Caminho marítimo para a desgraça".

No dia 16, o festival vai a Marrazes, convidando o Peripécia Teatro a representar "1325".

Nos Pousos o trabalho final é mostrado no dia 23. O Teatro da Serra de Montemuro representa à noite "Exploradores da Serra".

"Ñaque, ou sobre piolhos e actores", do CENDREV, encerra Novos Ventos, no dia 30, no Arrabal.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon