Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Festival do Teatro das Beiras regressa à Covilhã em novembro

Logótipo de O Jogo O Jogo 23/10/2017 Administrator

A Covilhã recebe, nos dias 02 a 11 de novembro, mais uma edição do Festival de Teatro, uma iniciativa organizada pelo Teatro das Beiras que contará com 13 apresentações teatrais e um espetáculo de música.

"Mesmo com as contingências que há de programação, tentamos fazer um programa equilibrado, com companhias de diversos pontos do país e com espetáculos que sejam diferenciados uns dos outros", disse Fernando Sena, diretor desta companhia de teatro profissional que tem sede na Covilhã, distrito de Castelo Branco, organizadora deste evento há mais de 30 anos.

Segundo Fernando Sena, este ano serão nove as companhias a subir ao palco, entre as quais uma espanhola, integrada no projeto "circuito ibérico de teatro", que engloba companhias espanholas e portuguesas e que tem o objetivo de apresentar no país vizinho o trabalho que cada uma faz.

Na Covilhã estará o Teatro Guirigai, com a peça "Un Encuentro con Miguel Hernandez", a única deste circuito que poderia ser apresentada no auditório do Teatro das Beiras, que tem um palco com uma dimensão um pouco limitada.

À semelhança dos outros anos, o programa prevê oito representações para o público escolar, que deverão abranger cerca de 700 crianças com idades entre os três e os 12 anos.

"É uma aposta que tem como grande objetivo a formação e a sensibilização de novos públicos, trabalho que nós já fazemos há mais de 20 anos", disse, lembrando que gostaria que estivessem reunidas as condições ideais para que as crianças de todas as escolas do concelho pudessem assistir a pelo menos um espetáculo.

O festival arranca no dia 02 de novembro, às 21:30, com a peça "13", criação da Peripécia Teatro, um "nó cego" sobre as linhas narrativas relacionadas com as chamadas "aparições" de Fátima, seguindo-se, no dia 03, à mesma hora, o espetáculo "Memórias Partilhadas", do Teatro Montemuro, sobre três monólogos de Peter Cann, Therese Collins e Abel Neves.

No dia 04, às 21:30, sobe ao palco a peça "As Criadas", de Jean Genet, pela Companhia de Teatro de Braga.

As apresentações para o público infantil decorrem entre os dias 06 e 09 e cada espetáculo sobe ao palco duas vezes, às 11 e às 14:30.

No dia 06, será a peça "BemMarMeQuer", pelo Teatro Art'Imagem, inspirada na obra de Mia Couto, no dia 07, a peça "O Pedro e o Lobo", um clássico revisitado por Luiz Oliveira e pela Jangada Teatro, seguindo-se, no dia 08, "Um dia serei grande", criação coletiva da Baal 17 e, no dia 09, "Borbolino", de Odete Ferreira, pela D'Orfeu.

"Um Encuentro con Miguel Hernandez", com texto, dramaturgia e direção de Agustín Iglesias, pelo Teatro Guirigai, sobe ao palco no dia 10, às 21:30. No dia 11, à mesma hora, a companhia anfitriã apresenta a sua mais recente encenação, "A ilha dos Escravos", sobre original de Pierre de Marivaux.

O certame fecha pouco depois com a atuação do João Espadinha Quinteto, num concerto marcado para as 23:00. Com o guitarrista tocam Luís Cunha, em trompete, Óscar Graça, piano, Ricardo Marques, contrabaixo, e João Pereira, em bateria, de acordo com a programação anunciada.

O custo do festival ronda os 30 mil euros e tem o apoio da Direção Geral das Artes e da Câmara Municipal da Covilhã.

O bilhete, para o público em geral, custa seis euros, sujeito a desconto de 50% para sócios do Teatro das Beiras, maiores de 65 anos e jovens até aos 25 anos. Nas apresentações para escolas, e entrada custa um euro.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon