Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

FIA confirma desqualificação de Ricciardo na Austrália

Sportinveste 15/04/2014 Fonte: Sportinveste Multimédia
FIA confirma desqualificação de Ricciardo na Austrália © Sportinveste Multimédia FIA confirma desqualificação de Ricciardo na Austrália

Federação Internacional do Automóvel mantém que o monolugar do piloto da Red Bull consumiu mais combustível que o regulamentado no GP da Austrália.

A Federação Internacional do Automobilismo (FIA) confirmou esta terça-feira a desqualificação do piloto Daniel Ricciardo (Red Bull) no Grande Prémio da Austrália, no qual tinha terminado em segundo lugar, rejeitando assim o recurso da escuderia austríaca.

"Após ter escutado as partes e examinado os seus argumentos, a instância de recurso decidiu manter a decisão" de excluir o carro de Ricciardo dos resultados oficiais do Grande Prémio (disputado a 16 de março, em Melbourne), indicou a FIA em comunicado, na sequência de um recurso apresentado pela Red Bull que pedia a anulação da sanção.

A decisão da FIA deixa Ricciardo na décima posição da classificação do Mundial de pilotos, com 12 pontos (obtidos com o quarto lugar do Grande Prémio do Bahrein), e mantém a Red Bull na quarta posição no Mundial de construtores.

Ricciardo foi desqualificado porque os comissários de corrida da FIA em Melbourne detetaram que o indicador de fluxo de combustível instalado no seu monolugar mostrava que tinha superado um caudal de 100 quilos por hora, o limite máximo imposto esta temporada para reduzir a potência dos carros.

A Red Bull defendeu-se dizendo que o detetor dos comissários da FIA tinha um problema e que o fluxo de combustível permitido pelas regras nunca foi ultrapassado.

A Mercedes pediu, entretanto, um agravamento da sanção aplicada a Ricciardo e à Red Bull, mas a FIA rejeitou essa pretensão.

Fonte: OJOGO

AdChoices
AdChoices
image beaconimage beaconimage beacon