Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Foco do novo presidente de Murça (PSD) está nas pessoas

Logótipo de O Jogo O Jogo 16/10/2017 Administrator

O novo presidente da Câmara de Murça, Mário Artur Lopes, garantiu hoje uma ação "completamente centrada" nas pessoas e assente em "três pilares fundamentais", que são a competitividade, a valorização social e do território.

Dezasseis anos depois, Mário Artur Lopes recuperou o município de Murça, no distrito de Vila Real, para o PSD, derrotando por 120 votos José Maria Costa, que se recandidatava a um segundo mandato pelo PS.

O novo presidente desta autarquia tem 50 anos e desempenhava, até ser eleito, o cargo de gestor da Adega Cooperativa de Murça. Foi também vice-presidente do município entre 2002 e 2006.

À agência Lusa disse que, depois da tomada de posse, marcada para sexta-feira, a primeira medida será fazer uma "avaliação muito pormenorizada de todas as situações que dizem respeito à câmara e ao seu funcionamento".

O diagnóstico vai ser feito a nível "orgânico, operacional e financeiro".

"Depois de diagnosticarmos tudo o que existe, temos que definir uma linha de trabalho onde todos os recursos disponíveis sejam rentabilizados da forma mais eficiente possível, nomeadamente recursos humanos, financeiros e materiais", salientou.

Mário Artur Lopes garantiu que o foco da sua ação vai estar centrado nas pessoas e assente em três pilares fundamentais, que são a competitividade, a valorização social do território.

"Acima de tudo precisamos de valorizar a economia do concelho e de todas as suas potencialidades endógenas e com uma incidência grande na agricultura, na vinha, no azeite, na pecuária, floresta e frutos secos", afirmou.

Depois, disse que "é essencial também apostar no turismo".

Localizado entre a Terra Fria e a Terra Quente, entre o Douro e a montanha, o concelho de Murça quer atrair mais pessoas apostando "num turismo diferenciado", ligado à história, cultura, tradição e identidade local.

"É preciso que o turismo tenha a ver com aquilo que produzimos localmente. Queremos que o turismo seja uma alavanca forte para a valorização de tudo o que é a nossa produção local", sustentou.

Só com mais emprego é possível fixar os jovens no concelho e travar o despovoamento. Por isso mesmo, o autarca disse que é preciso "incentivar os jovens a criar o próprio emprego, as empresas existentes a investir e criar mais emprego e atrair novas empresas que também criem emprego".

Mário Artur Lopes garantiu uma grande atenção à população mais idosa e referiu que é preciso criar formas de manter os mais velhos nas suas casas, nas aldeias, mas dando-lhes o apoio de que precisam para não se sentirem abandonados.

"Queremos valorizar a identidade, para que haja uma autoestima maior, um reconhecimento à nossa terra de origem, ao nosso território. Porque só assim podemos valorizá-lo e motivar as pessoas a ficarem cá ou a voltarem", sublinhou.

Nas eleições autárquicas de 01 de outubro, PSD obteve 2.028 votos (47,82%) e conseguir três mandatos e o PS 1.908 votos (44,99%), ficando com dois mandatos.

A tomada de posse do novo executivo está marcada para sexta-feira pelas 15:00.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon