Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

"Fomos beber copos com os adeptos"

Logótipo de O Jogo O Jogo 07/07/2017 Alcides Freire

Yann Matias Marques, defesa do Progrès Niederkorn, explica a O JOGO como foram os festejos após a primeira vitória na UEFA, sobre o Rangers e que ditou o afastamento da equipa escocesa da Liga Europa

Yann Matias Marques é um dos mais recentes heróis do Luxemburgo. Aos 20, o jovem defesa foi um dos que ajudaram o Progrès Niederkorn a alcançar a primeira vitória de sempre nas provas da UEFA (2-0), afastando o outrora poderoso Rangers na primeira eliminatória. Lusodescendente - a família tem raízes em Coimbra -, o lateral-direito explica a O JOGO que os festejos foram maiores que habitualmente, após a viagem de regresso do Estádio Nacional. "Quando chegámos ao nosso estádio, estavam 70 adeptos à nossa espera; é muito para nós", desvendou Yann Marques, reforçando: "Gritavam os nossos nomes, havia tambores e fogo de artifício. Depois fomos comer e beber um copo com eles."

citacao"Quando chegámos ao nosso estádio, estavam 70 adeptos à espera. É muito para nós"

Este convívio com os fãs é "habitual" no Progrès, conforme Yann explica, só o surpreendendo mesmo o número maior dos que fizeram questão de felicitar os jogadores. "Após os jogos é costume ficarmos à conversa com os adeptos - mas não com tantos -, a confraternizar. Há quem beba cerveja", salienta o lateral que também joga a central.A estudar, Yann explica que, no clube, os não profissionais "recebem dois mil euros" por mês, à parte o salário da profissão, e que mesmo a "treinar à noite cinco dias por semana", a equipa sempre acreditou que podia eliminar o Rangers, de Pedro Caixinha.

© Fornecido por O jogo

citacaoOs jogadores semiprofissionais do Progrès recebem dois mil euros além do salário que cada profissão proporciona

"Na Escócia fizemos um bom resultado [derrota por 1-0], estávamos confiantes para a 2.ª mão e conseguimos passar", afirma Yann, salientando que o resultado não caiu bem aos adversários. "Tentei falar com o Dálcio, mas estava zangado", revela, realçando que, no fim, a equipa do Rangers "ficou no túnel de acesso ao autocarro" à espera de que os seus fãs se acalmassem. "Quando nós saímos, aplaudiram-nos, mas estavam irritados", finaliza Yann.

AdChoices
AdChoices

Mais de O Jogo

image beaconimage beaconimage beacon